conteúdos
links
tags
Entrevistas
Antigos alunos UA: Artur Lobo, writer 'Ratu', antigo aluno da ESAN
“Curso uniu formação às minhas áreas de interesse, uso no graffiti o que aprendi”
Ratu tem vindo a realizar vários graffiti em Aveiro e na região
Começou a tentar perceber como poderia transformar o seu hobby num trabalho (“De forma a parecer que nunca trabalho!”, afirma, com uma ponta de ironia) há cerca de cinco anos. Artur Marques Lobo, conhecido na arte urbana, graffiti e ilustração como Ratu NC, conclui a licenciatura em Design de Produto e Tecnologia, na Escola Superior Aveiro Norte da Universidade de Aveiro. A produção mais recente deste writer (designação de quem faz graffiti) foi o painel ao lado da Sé da Aveiro que concebeu em parceria com Zooter NC (Dalila Monteiro), com quem tem vindo a realizar diversos trabalhos.

Quais os motivos que o levaram a estudar na Universidade de Aveiro?

Sou de Aveiro e não fazia sentido ir para outra universidade. Acabei na ESAN, uma vez que vinha de Ciências e a única maneira de entrar num curso de Design era com matemática... Aprendi a gostar do curso!

Sempre soube qual a atividade que viria a seguir? Corresponde à atividade principal atual?

Não! Só nos últimos cinco anos, é que comecei a tentar perceber como poderia transformar o meu hobby num trabalho, de forma a parecer que nunca trabalho! Desenho desde que me lembro da minha pessoa e as artes sempre foram uma paixão, mas nunca estudei e sempre vivi com aquela do "Não vás para artes! Isso não é futuro para ninguém!"... Tirei um curso que uniu a minha área de formação a várias das minhas áreas de interesse e hoje uso muito do que aprendi de Design de Produto, no graffiti! Tudo é um produto...

O curso correspondeu às suas expectativas? E a Universidade de Aveiro?

Superou! Muitos só se apercebem disto quando vão para o mercado de trabalho ou quando o experimentam durante o estágio académico, mas é um curso que prepara muito bem os alunos para o que os espera! Ás vezes, bem demais!

Que competências adquiridas entende terem sido fundamentais para o exercício da sua atual atividade?

Aprendes a ver tudo como um produto, és preparado para resolver problemas com base numa data de restrições e, quando transporto isso para o meu dia-a-dia, acabo por usar os métodos que aprendi para resolver os problemas que os clientes põem quando me pedem um mural de graffiti! Isso e as únicas aulas de desenho que tive em toda a minha vida!

O que mais o marcou na Universidade de Aveiro? (algum professor/colega/ episódio?)

São demasiadas lembranças! Ficam amigos para a vida e claro que houve professores que me marcaram e ficarão para sempre como mentores! Sei que posso entrar sempre por aquelas portas, para discutir algum projeto que tenha e pedir-lhes ajuda e feedback! Dos Enterros é que ficou pouco...

Descreva a sua atividade atual e um pouco do seu dia-a-dia de trabalho.

Neste momento, dedico-me a 100% à arte urbana, graffiti e ilustração, fazendo alguns trabalhos de Design Gráfico pontualmente. No meu dia-a-dia, quando não estou agarrado às paredes, ou estou fechado em casa a tratar de projetos futuros e a desenhar, ou estou a reunir com clientes e a ver que paredes têm para mim! Tento sempre guardar algum tempo para gerir as páginas do Ratu, mas confesso que essa é a "parte chata do trabalho" e há sempre alguma coisa mais interessante para fazer...

Fale-nos um pouco da empresa/instituição onde trabalha.

Trabalho por conta própria. Pelo menos enquanto houver quem queira e quem tenha onde eu possa pintar!

Tem trabalhado com a Zooter (Dalila Monteiro)… Pelo menos, foi isso que aconteceu em “A Salineira e o Marnoto”. Essa colaboração continua? Que trabalhos estão em curso e previstos?

Sim, trabalhamos juntos há vários anos e assim continuaremos. Ambos temos os nossos projetos pessoais, mas continuamos sempre a trabalhar em conjunto e as pessoas de Aveiro habituaram-se a ver os nossos estilos juntos. Queremos continuar a trabalhar e a evoluir na ligação entre os dois estilos e começar a habituar as pessoas de outras cidades também!

Temos vários trabalhos em conjunto e mais alguns aparecerão nos próximos tempos! Os mais centrais serão a fachada da Secundária Homem Cristo, a esplanada do Rebaldaria (na Rua Direita) e o mural à entrada do viaduto da Sé. Recentemente, oferecemos uma tela de 2m x 4m à Mordomia de São Gonçalinho, para que fosse leiloada e ajudar à festa.

O que ainda está para vir, é segredo!

A street art em Aveiro recomenda-se?

Está, sem dúvida, em evolução! Não é incipiente. O problema é a falta de apoio e investimento na área. Mas graffiti e street art não são a mesma coisa! Quando pensamos em cidades mais conhecidas no mundo da street art, como Porto, Lisboa e Estarreja (tão aqui pertinho), não há comparação entre os investimentos feitos nesses (ou por esses) municípios e o que é feito em Aveiro. É preciso mais investimento! Artistas há e de grande qualidade, até já houve mais...

Agora em relação ao graffiti, isso é outra história! Mas Porto e Lisboa são as capitais e assim vão continuar. São cidades muito diferentes da nossa...

imprimir
tags
outras notícias