conteúdos
links
tags
Distinções
Documentário de Luís Margalhau vai continuar a ser exibido em 2017
Trabalho de docente da UA sobre música e comunicação motiva documentário premiado
Paulo Maria Rodrigues comunica com criações sonoras multidisciplinares
Partindo do princípio de que “há situações sonoras interessantes que não têm de passar pela fórmula mais clássica”, a Companhia de Música Teatral, coordenada pelo docente e compositor Paulo Maria Rodrigues, produz criações multidisciplinares em que não exclui nenhuma ferramenta de comunicação. É este trabalho do docente da Universidade de Aveiro (UA) que se mostra no documentário “Afinando Pessoas, Pássaros e Flores”, realizado por Luís Margalhau, já premiado.

“Abra os ouvidos e Escute. À sua volta e dentro de si. Procure o canto dos pássaros, o rumor das canas, o murmúrio da água, o gemido dos elétricos na calçada velha, o assobio do amolador nas vielas, um piano numa fábrica antiga, a canção que a sua avó lhe cantava. Paulo Maria Rodrigues faz-se, pelo seu trabalho, um empreendedor de sonhos: com uma formação multidisciplinar da Agronomia à Engenharia Genética, passando pela Royal Academy Music, ele desperta na criança, por meio da arte, a recetividade para o mundo envolvente e a consciência da versatilidade da comunicação. Porque linguagem não é apenas falar e falar não se faz só por palavras, a arte de Paulo Maria Rodrigues é o principio da viagem por formas, cores e sons para um universo de infinitas possibilidades.”

Assim se apresenta o trabalho do docente da UA Paulo Maria Rodrigues que é objeto de documentário “Afinando Pessoas, Pássaros e Flores”, realizado por Luís Margalhau, distinguido com o Prémio do Público, Categoria “Odisseias Musicais – Palco Nacional”, no MUVI 2016 - Festival Internacional de Música no Cinema, que decorreu em Lisboa, no início de dezembro.

Luís Margalhau fez parte da equipa do programa televisivo “3810 UA”, produzido pela academia aveirense, que passou, há alguns anos, na RTP2. Este seu mais recente documentário, para além do prémio conquistado no MUVI 2016, foi ainda distinguido no Festival de Avanca (em julho de 2016), onde estreou, com dois prémios: Melhor Documentário Avanca e Estreia Mundial. O filme, de 65 minutos, passou ainda no 6º Festival Internacional de Cinema de Vila Nova de Foz Côa e nas Jornadas de Informação na Biblioteca Municipal de Estarreja. 

No início de fevereiro o filme vai ser exibido numa extensão do MUVI prevista para os Açores, mas Luís Margalhau antecipa que as exibições não vão ficar por aqui e perspetiva a exibição noutros ecrãs ao longo do ano de 2017.

A produção deste trabalho ficou a cargo da Margas Filmes, do Cine Clube de Avanca, dirigido por António Costa Valente, também docente da UA, e ainda do Filmógrafo.

“Afinando Pessoas, Pássaros e Flores” foi o resultado natural, explica Luís Margalhau, do contacto que tem, há vários anos, com o trabalho desenvolvido por Paulo Maria Rodrigues e da captação de imagem que fez em diversos momentos desse trabalho, como foi o caso de “Bach2Cage”, “Pianoscópio” e de atividades enquanto Paulo Maria Rodrigues dirigiu o Serviço Educativo da Casa da Música.

Desde a sua estreia, como realizador de documentários, em 2002, o antigo membro do “3810 UA” já foi premiado uma mão cheia de vezes.

imprimir
tags
outras notícias