conteúdos
links
tags
Entrevistas
Antigo aluno UA - André Cester Costa, licenciado em Gestão e Planeamento em Turismo
André “TEDxAveiro” Costa
André Cester Costa organiza o TEDx em Aveiro
“O campus da UA tinha, e acredito que continue a ter, o ambiente perfeito para doses equilibradas de estudo e diversão”, afirma André Cester Costa, responsável pela Divisão de Desenvolvimento Económico e empreendedorismo da Câmara Municipal de Aveiro. O antigo aluno, também organizador do TEDxAveiro, explica como a formação na UA e o estágio foram importantes para o seu percurso profissional.

O atual responsável pela Divisão de Desenvolvimento Económico e Empreendedorismo da autarquia aveirense é um exemplo de como o estágio no final do curso pode determinar o percurso profissional dos estudantes. Anualmente, decorrem cerca de mil estágios profissionais no âmbito de um conjunto de parcerias, cada vez mais alargado, entre a UA e as empresas e outras entidades da região e do país. 

Inicialmente, imaginava-se a gerir uma unidade hoteleira mas, ao longo da licenciatura em Gestão e Planeamento em Turismo, ganhou interesse pelas áreas de planeamento estratégico e de gestão e avaliação de projetos. Nos últimos anos dessa formação no Departamento de Gestão, Economia e Engenharia Industrial – hoje acrescenta-se ainda “Turismo” ao nome do Departamento – e após uma experiência na Finlândia como estudante Erasmus, sentiu necessidade de começar a trabalhar em diferentes áreas. Esteve quase para fazer o estágio profissional na consultora Deloitte & Touche, mas preferiu uma empresa municipal, naquele período ainda em formação – a Parque Desportivo de Aveiro, EM. Na Parque Desportivo de Aveiro, EM, onde trabalhou entre 2001 e 2004, teve o primeiro contacto com os fundos estruturais, relação que ainda hoje mantém viva.

Em 2004, recebeu o convite para ser Diretor Local Adjunto do Estádio durante o período do EURO 2004. Desafiado pelo amigo André Apolinário, então vice-presidente do Beira Mar, criou, com mais amigos, a secção de futsal do clube. Nesse mesmo ano, começou a trabalhar na Divisão Económico-Financeira da autarquia aveirense, na gestão de fundos comunitários, e em 2008 passou a coordenar o Gabinete de Desenvolvimento Económico e Fundos Estruturais do município. No início do ano de 2010, no  âmbito do trabalho em rede que era promovido na área do desenvolvimento económico com alguns agentes locais e regionais, em conjunto com Fernando Santos, na altura diretor da Incubadora de Empresas da Universidade de Aveiro IEUA), candidatou-se a uma licença TEDx, juntando mais uns quantos amigos, e possibilitando, em maio de 2010, a organização do primeiro TEDxAveiro.

O ambiente perfeito para doses equilibradas de estudo e diversão

“Foi, por um lado, a paixão pela organização de eventos e por outro, o trabalho profissional na área do Desenvolvimento Económico no município, que me levaram, em conjunto com um grupo de aveirenses tão ou mais criativos e empreendedores do que eu, a abraçar essa aventura. Entendemos que fazia falta a Aveiro um evento diferente das habituais conferências e colóquios e que desse palco às mentes brilhantes e criativas do nosso ecossistema”, explica.

Esta versão local das conferências TEDx afirmou-se a nível nacional como um evento de referência que promove a criatividade, inovação e empreendedorismo e chegou a registar 700 participantes em 2013. O próximo TEDx Aveiro, a 18.ª edição, já está agendado para 27 de maio de 2017. O tema será "O futuro é agora".

Para além da licenciatura em Gestão e Planeamento em Turismo, André Cester Costa concluiu ainda uma especialização em Inovação e Políticas de Desenvolvimento na UA. Recorda como foi marcante o ambiente que se vive no campus de Santiago: “No bar do Chinca jogávamos às cartas, na Biblioteca encontrávamos a necessária serenidade para estudar ou fazer trabalhos em grupo e à noite, no ‘antigo BA’, libertávamos a mente do estudo!”.

Quanto à formação que frequentou, o antigo aluno, que escolheu a UA em primeira opção no boletim de candidatura, considera que a licenciatura “foi uma agradável surpresa pela diversidade das matérias lecionadas”. “Na UA tivemos sempre um ótimo acompanhamento e relação com os professores. As infraestruturas eram e são excelentes”.

A importância do learning-by-doing

Embora assuma que a formação formal adquirida na UA teve influência neste percurso, André Cester Costa acrescenta, naturalmente, a importância de muitas competências pessoais e profissionais adquiridas pela experiência do dia a dia no trabalho, pelos projetos de voluntariado que abraça. “Ainda que acredite que o conhecimento teórico é fundamental para que possamos desenvolver o nosso trabalho, acredito ainda mais no processo ‘aprendizagem através da experimentação/learning-by-doing’, pois ajuda-nos a desenvolver o espírito crítico, a aprender com os erros, a aprender a trabalhar em equipa e a cruzar, muitas vezes, diferentes áreas do saber. A capacidade para nos adaptarmos à mudança, a capacidade e curiosidade para estudar e conhecer novas áreas do saber e a capacidade para sermos resilientes, são para mim competências fundamentais no mundo atual”, sublinha.

O responsável pela Divisão de Desenvolvimento Económico e Empreendedorismo da Câmara Municipal de Aveiro entende que uma autarquia, assim como uma universidade, podem ser “os catalisadores na criação de um ecossistema empreendedor e o objetivo último é que, após cinco a dez anos de trabalho bem desenvolvido, o ecossistema funcione por si”. “Hoje temos em Aveiro já alguns indícios que o ecossistema começa a funcionar por si, havendo ainda, no entanto, muito trabalho que pode, deve e será feito pelas diversas entidades públicas e privadas do ecossistema”, afirma.

Nota: este artigo foi publicado na edição número 26 da revista Linhas.

imprimir
tags
outras notícias