conteúdos
links
tags
Entrevistas
Estudantes internacionais, Sara Lopes
Antiga Ministra de Cabo Verde escolheu a UA para se doutorar
Sara Lopes
Foi Ministra-adjunta do Primeiro-Ministro (2006 a 2008), Ministra da Descentralização, Habitação e Ordenamento do Território (2008 a 2012) e Ministra das Infraestruturas e Economia Marítima (2012 a novembro de 2015) em Cabo Verde. No final de 2015 chegou à UA para se doutorar em Políticas Públicas porque quer “ver o mundo de outro prisma” para melhor compreender o desafio que representa governar as sociedades modernas e contribuir de alguma forma para melhorar a governação em Cabo Verde. Sara Lopes, 46 anos, é da ilha do Sal e a sua investigação sobre políticas públicas de transportes e mobilidade em Cabo Verde visa verificar se, mesmo em contexto insular, os sistemas de transporte e mobilidade podem ser eficientes, sem intervenção política relevante.

Foi no âmbito de um projeto enquanto Ministra Adjunta e tutela da Comunicação Social e do Emprego em Cabo Verde que conheceu a Universidade de Aveiro. “Fiquei muito impressionada. Voltei cá outras vezes, sempre na busca de parceria para algum projeto relevante para as áreas sob a minha tutela. Sempre acreditei que existe uma relação virtuosa entre a academia e a política que, se bem explorada, pode fazer com que ambas sejam mais uteis à sociedade”.

Sara Lopes admira o intenso pulsar da ciência, da tecnologia e da investigação, a qualidade do corpo docente e a horizontalidade das relações entre docentes e discentes que caraterizam a UA, acrescentado a qualidade das infraestruturas e dos recursos pedagógicos disponíveis. A sua maior surpresa talvez tenha sido a “facilidade de acesso a tudo e todos”, o nível de tecnologia e a dinâmica no campo da investigação que aqui encontrou. “Sendo uma Universidade tão voltada para a tecnologia e para as áreas científicas, não contava encontrar docentes tão distintos no domínio das ciências humanas”.

No fim do doutoramento e da consequente pausa nos mais de 20 anos de intensa atividade política e social, Sara pretende melhorar os seus conhecimentos em metodologias e técnicas de investigação para contribuir para a dinamização da investigação no campo das ciências sociais e humanas em Cabo Verde. “Há um brutal domínio da opinião politica, muitas vezes mal informada na sociedade, sobretudo nas áreas que constituem o campo das ciências sociais e humanas, apesar dos tímidos mas encorajadores resultados da recente experiência de Ensino Superior em Cabo Verde”.

imprimir
tags
veja também
 
outras notícias