conteúdos
links
tags
Distinções
Projetos dos estudantes de doutoramento Rita Bastos, Diana Costa e Pedro Cunha vão receber 12.500 euros cada
UA conquista três bolsas de apoio à investigação da Fundação Calouste Gulbenkian
Os investigadores premiados Rita Bastos, Diana Costa e Pedro Cunha
A Universidade de Aveiro (UA) conquistou três das oito bolsas de 12.500 euros da edição de 2015 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian. Os trabalhos de Rita Bastos, na Física, de Diana Costa, na Matemática, e de Pedro Cunha, na área das Ciências da Terra e do Espaço, seduziram a Fundação responsável pelo programa que todos os anos distingue as oito melhores propostas de investigação de estudantes de doutoramento, apoiando a respetiva execução em centros de investigação nacionais.

O trabalho de Rita Bastos pretende produzir circuitos óticos integrados de baixo custo, permitindo a transposição das técnicas de modulação de elevada eficiência espectral para a rede de acesso. Os circuitos propostos pela estudante de doutoramento dos departamentos de Física e de Engenharia Electrónica e Telecomunicações da academia de Aveiro têm por objetivo ajudar a que tecnicamente seja possível, no futuro, termos acesso em casa a uma internet muito mais rápida e a uma imagem televisiva de alta qualidade quando chegar a hora das televisões 3D.

Já o trabalho vencedor de Diana Costa, aluna de Doutoramento do Departamento de Matemática da UA, projeta desenvolver, com recurso à lógica híbrida paraconsistente, um robô que, tal como nós humanos, consiga adquirir informações e que aprenda a usá-las, mesmo que sejam pouco consistentes e se contradigam.

Quanto ao estudante de doutoramento do Departamento de Física, a investigação de Pedro Cunha centra-se no estudo das sombras dos buracos negros com ‘cabelo’, uma espécie distinta dos buracos negros convencionais e que foi descoberta em 2014 por investigadores daquele departamento da UA. Garante o investigador que, para além do ‘penteado’, também as sombras destes buracos podem ser muito diferentes das dos tradicionais.

O Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian distingue anualmente propostas de investigação de elevado potencial criativo em áreas científicas no âmbito das disciplinas básicas da Matemática, da Física, da Química e das Ciências da Terra e do Espaço, apoiando a sua execução em centros de investigação portugueses. Aos projetos vencedores a Fundação Calouste Gulbenkian atribuí um incentivo de 2.500 euros para o investigador e de 10 mil euros para a instituição de acolhimento suportar os encargos com a execução da investigação durante o ano subsequente.

Na edição de 2015 o Programa considerou as áreas da Álgebra e Lógica Matemática (Matemática), da Luz: ótica, optoeletrónica e fotónica (Física), da Relatividade Geral e do Solo (Ciências da Terra e do Espaço) e da Química e Luz (Química). 

imprimir
tags
outras notícias