conteúdos
links
tags
Distinções
Trabalho premiado conjuga imagem e som
Obra de João Pedro Oliveira premiada no Hollywood International Moving Pictures Film Festival
João Pedro Oliveira vence Concurso Alvarez Chamber Orchestra
Uma obra que conjuga imagem e composição musical, ambos da autoria de João Pedro Oliveira, a lecionar na Universidade Federal de Minas Gerais e professor catedrático da Universidade de Aveiro, foi distinguida com o prémio para a banda sonora e design sonoro no Hollywood International Moving Pictures Film Festival. Intitulada “Âphâr”, a obra foi composta para vídeo e música eletroacústica e selecionada para, entre outros, os festivais London Shows International Film Festival, Russian International Film Fest e Legends of Hollywood Film Festival.

“A imagem foi pensada para uma música eletroacústica que eu tinha composto há alguns anos… A questão era de invenção/adaptação da imagem de forma a combinar/integrar com os sons já existentes.”, explica o compositor e professor sobre “Âphâr”, uma das suas obras concebidas nos últimos anos em resposta à necessidade criativa de articular música e imagem. “Âphâr” demorou oito meses a construir.

Foi há três anos que João Pedro Oliveira começou a trabalhar diretamente na articulação entre imagem e composição musical, embora antes já tivesse composto para vídeo. O contacto que teve, em tempos, com a formação em Arquitetura e o seu interesse, já longo, pela imagem, facilitaram o trilhar deste novo caminho dúplice que casa as duas formas de expressão. No entanto, por serem tão demorados, o autor intercala estes trabalhos com composições musicais.

Desde 1993 que o compositor tem vindo a somar dezenas de prémios nacionais e internacionais com o seu trabalho, tendo sido distinguido três vezes durante o ano passado e com três peças diferentes. Entre vários outros, recebeu o Giga-Hertz Award e o Magisterium Prize do IMEB (Bourges). A sua música é tocada em todo o mundo, e a maioria das suas obras tem sido encomendada por instituições de prestígio internacional.

“O meu trabalho não pretende romper com o passado ou confrontá-lo…”, afirma João Pedro Oliveira no seu sítio da Internet. “Apenas procura comunicar algo de muito pessoal que até pode nem ser comunicável. É a minha energia interior que me impele a escrever música. Ainda que consciente das minhas imperfeições e hesitações como ser humano, tento criar algo que possa ter um assomo de beleza”.

imprimir
tags
outras notícias