conteúdos
links
tags
Entrevistas
Catarina Duarte e Nuno Caldeira apresentam uma sonoridade original e surpreendente
Antigos alunos da UA trazem da Ásia uma bagagem cheia de música
Catarina Duarte e Nuno Caldeira encontraram no sudoeste asiático inspiração para fazer nascer o Senza
A Catarina Duarte é formada em Matemática e o Nuno Caldeira em Novas Tecnologias da Comunicação. No início deste ano, os dois músicos e antigos alunos da Universidade de Aveiro (UA) decidiram fazer uma viagem de vários meses ao sudeste asiático. Foi lá que escreveram as canções do álbum que estão agora a lançar. Nas suas músicas, os Senza – assim se chama a dupla - contam histórias que viveram e falam de locais que visitaram. O trabalho musical que trazem de volta resume a inspiração das viagens dentro da viagem. Daqui para a frente, garantem, fica o compromisso de nas futuras evasões darem seguimento ao álbum que agora apresentam: “Praia da Independência”.

Acreditam que as viagens transformam as pessoas. Fazem-nas diferentes. A Catarina e o Nuno partiram de mochila às costas, sem nada programado, e aventuraram-se numa viagem de três meses pela Ásia que acabou por se transformar num projeto de vida: um projeto de músicas originais. Com o pretexto de continuar a viagem que fizeram em 2012, no transiberiano, de Moscovo a Xangai, iniciaram, em janeiro de 2015, uma nova aventura ao Sudeste Asiático. Estiveram na China, no Vietname, no Cambodja e na Tailândia… Mas esta viagem teria muito mais para dar do que inicialmente poderiam prever.

Com um budget apertado, viajando de comboio, autocarro, de bicicleta e por vezes a pé, passaram por locais onde se vive um dia de cada vez. Onde há tempo para pensar, tempo para refletir, tempo para decidir. Decidiram então começar a compor as canções que viriam a integrar o álbum “Praia da Independência”. Paradoxalmente, a distância geográfica e cultural a que estavam de casa, aproximou-os musicalmente de Portugal. Sujeitos a estímulos exóticos, e contra o que seria de esperar, a inspiração foi no sentido de compor algo em português. São prova disso as influências de diversos estilos de música de expressão portuguesa na sua música. Um projeto com uma história fascinante, com uma sonoridade original e surpreendente!

Porquê o nome Senza?

Este é o nome de um instrumento musical que escolhemos para entrar no álbum… O nome soou-nos bem!

Onde fica e como é esta vossa Praia da Independência?

A Praia da Independência existe mesmo. Na verdade existe em dois lugares ao mesmo tempo: na nossa imaginação, onde adquire um sentido figurado, e na realidade física, no sul do Cambodja. Adorámos lá estar e foi mesmo aí que escrevemos a primeira canção do álbum. Não é por acaso que dá o nome ao álbum e ao single. Como qualquer praia daquelas paragens, é paradisíaca, tem água muito quente, mas houve qualquer coisa no clima, no ambiente, nas pessoas, no timing, que a fez indicada para escrever canções. Para nós, a melhor forma de a descrever é a canção em si... Foi assim que a vimos e é assim que gostamos de partilhar o que vivemos.

E o que se pode ouvir neste álbum?

É um álbum de música portuguesa, cantada em português! Tem influências da nossa experiencia musical anterior, que passa pela música ligeira pré e pós 25 de Abril, pela MPB, pela música africana… No fundo, estilos musicais cantados em português, e temperado pontualmente com ritmos afro e um pouco de Jazz… Um pouco eclético, mas achamos que o é numa dose saudável. Um estilo a que gostamos de chamar de fusão lusófona.

O que é que nasceu primeiro, a vontade de viajar para fazerem o álbum, ou a vontade de fazer o álbum durante a viagem?

A vontade de fazer o álbum durante a viagem. As viagens têm destas coisas, são capazes de nos inspirar e foi isso mesmo que aconteceu. No entanto, agora queremos viajar para escrever mais canções.

E porquê uma viagem ao sudoeste asiático e não a outra região qualquer do mundo?

A escolha do sudeste asiático deveu-se ao facto de termos viajado em 2012 desde Moscovo até Xangai sem transportes aéreos. Resolvemos no ano de 2015, partir dali mesmo, de Xangai. Foi apenas para sermos coerentes com o itinerário que já tínhamos iniciado anteriormente, o que nos torna a viagem mais especial. Era janeiro, optámos por ir rumo ao calor do sul.

Onde é que as vossas formações académicas se misturam com este projeto ou com a música em geral?

Temos formação académica em Matemática [Catarina] e Novas Tecnologias da Comunicação [Nuno] pela UA. Talvez não haja muitos pontos em comum, mas a música fez sempre parte das nossas vidas, paralelamente aos estudos académicos. Acreditamos que o ambiente que encontrámos na UA há uns anos quando nos conhecemos, teve um papel decisivo na formação do nosso carácter e das nossas opções.

Este é o vosso primeiro projeto musical?

É o primeiro projeto em que somos fundadores de uma banda de originais! Apesar de já há alguns anos ambos fazermos participações profissionalmente em outros contextos musicais ligados a espetáculos corporativos, casinos, à Casa da Música no Porto e outros.

Quem vos quiser ouvir, como o poderá fazer?

Estamos a ultimar o lançamento do álbum e a contar que saia ainda este mês! Lançaremos novidades na nossa página de Facebook em facebook.com/senzamusic.

imprimir
tags
outras notícias