conteúdos
links
tags
Opinião
Margarida Coelho aponta pistas para uma mobilidade mais sustentável no Natal
Mobilidade sustentável no Natal
UA une-se à região pela bicicleta
Neste período em que as viagens são frequentes, uma investigação da Universidade de Aveiro (UA) mostrou que o planeamento e a escolha de rotas apropriadas pode permitir uma redução significativa no gasto de combustível e na emissão de poluentes pela viatura e ir até 50 por cento de monóxido de carbono se houver consciência de uma condução ambientalmente mais conscienciosa. Estas conclusões são algumas das dicas para viagens de Natal mais sustentáveis apontadas no texto de opinião de Margarida Coelho, professora do Departamento de Engenharia Mecânica da UA.

Na época natalícia é habitual fazermos deslocações, para encontros com a família e alguns passeios… É bom ter em conta que podemos conduzir de forma mais eficiente, o que permite poupar (através da redução do consumo de combustível) e contribuir para menores emissões de gases poluentes. Ao cumprir os limites de velocidade, conduzir com atitudes menos impulsivas e agir de forma antecipada, podemos igualmente contribuir para um menor índice de sinistralidade rodoviária. Ficam aqui algumas sugestões para uma mobilidade mais sustentável e segura em tempo de férias de Natal. 

Ao começarmos a nossa viagem, devemos ter noção que uma viagem bem planeada é um bom recurso para poupar combustível. Escolha o melhor percurso nas deslocações e tente evitar, se possível, alturas de maior volume de tráfego. Uma investigação desenvolvida na Universidade de Aveiro verificou/quantificou que o consumo de combustível e as emissões de poluentes podem ser significativamente minimizados através de escolhas apropriadas de rota. Nomeadamente, foram identificadas potenciais reduções de emissões de dióxido de carbono (CO2) até 25 por cento e de poluentes locais, como o monóxido de carbono (CO) e os óxidos de azoto (NOx), até 60 por cento. Esta investigação decorreu no âmbito da tese de doutoramento de Jorge Bandeira (Programa Doutoral em Engenharia Mecânica), intitulada “Road Traffic Information platform for energy and emissions savings”, sob orientação de Margarida Coelho, professora do Departamento de Engenharia Mecânica (DEM-UA), e coorientação de Asad Khattak, da University of Tennessee.

Nessa investigação foram ainda identificadas situações de compromisso entre a redução de emissões de CO2 e as emissões dos restantes gases: a minimização das emissões de CO2 é compatível com a minimização do tempo de viagem, mas por outro lado, a minimização de poluentes locais pode levar a um aumento considerável do tempo de viagem. Além do potencial de redução de poluentes, através da escolha de rotas adequadas, também há potencial para reduzir as emissões (por exemplo, mais de 50 por cento no caso do CO) com base na consciência de eco-condução dos condutores.

Segundo o portal do Instituto da Mobilidade e dos Transportes, a eco-condução "é uma forma de condução eficiente que permite reduzir:

- o consumo de combustível;

- a emissão de gases poluentes (principalmente óxidos de azoto e de enxofre) e de partículas resultantes da insuficiente combustão dos hidrocarbonetos;

- a emissão de gases com efeito de estufa (GEE), sobretudo dióxido de carbono (CO2), que contribuem para o aquecimento global;

- a sinistralidade, tendo em conta que se diminuem as acelerações bruscas e as travagens, tornando a viagem também mais confortável."

Uma vez que as previsões meteorológicas preveem sol para o Natal, colmate os excessos alimentares da quadra natalícia com um bom passeio a pé ou de bicicleta. Dependendo da intensidade do exercício, pode “queimar” cerca de 120 a 260 calorias por 30 minutos de caminhada, ou até cerca de 350 calorias por 30 minutos de passeio de bicicleta.   

Saiba ainda que, do montante total que cada português gasta anualmente para se deslocar, 91 por cento é com o automóvel privado. Se esta quadra é também propícia a fazer planos (afinal, “Ano Novo, Vida Nova”!), será que um dos desejos para 2015 poderia ser uma mobilidade mais sustentável e tentarmos diversificar os modos de transporte que utilizamos, com o lema “do the right mix” ( http://www.dotherightmix.eu/)? Na Universidade de Aveiro, a Plataforma Tecnológica da Bicicleta e Mobilidade Suave (http://www.ua.pt/ptbicicleta/) continuará, em 2015, a apoiar a criação de condições favoráveis ao uso da bicicleta e restantes modos suaves, de forma a propiciar uma melhoria do ambiente e da mobilidade.

imprimir
tags
outras notícias