conteúdos
links
tags
Cultura
Programa promovido pela UA inclui dois momentos altos esta semana
Festivais de Outono apresentam Nuevo Tango Argentino e ópera que satiriza mito de Orfeu
Trio Porteño traz Nuevo Tango Argentino
O Trio Trio Porteño, que integra Filipe Ricardo, membro-fundador dos Danças Ocultas, e dois antigos alunos da Universidade de Aveiro (UA), trio que interpreta o Nuevo Tango Argentino, e uma ópera na forma de sátira ao mito de Orfeu, composta por Jacques Offenbach, são dois dos momentos altos desta edição dos Festivais de Outono, promovidos pela UA. Os espetáculos decorrem, respetivamente, a 13 e 14 de novembro. O Trio Porteño atua no Auditório do Departamento de Comunicação e Arte da UA e a ópera sobe ao palco no Teatro Aveirense, nos dois casos a partir das 21h30.

O mito do amor eterno mas impossível entre Orfeu e Eurídice foi satirizado na ópera “Orfeu nos Infernos” (“Orfeu als inferns”), de Jacques Offenbach (1819–1880), na qual surge o tema que tornou o compositor e esta ópera dignos de notoriedade internacional: o Can-Can.

Esta produção inclui também uma vertente formativa. Para além da Orquestra Filarmonia das Beiras e do Coro de Câmara da Academia de Música de Castelo de Paiva, participam ainda alunos da classe de Canto do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, que participaram na 16ª Edição do Curso Internacional de Música Vocal 2014. A direção é de António Vassalo Lourenço e a encenação é de Claudio Hochman. 

Nesta ópera Orfeu e a sua mulher Eurídice não fazem uma típica vida de casal. Estão cansados um do outro e, por isso, já nenhum deles é fiel aos votos do matrimónio. Enquanto Orfeu se encanta com as suas belas alunas, Eurídice jura amor a Aristeu. Depois de descoberta a traição e em prol da sua imagem, Orfeu prepara a morte do amante da mulher e esta corre para lhe contar os planos do marido… Aristeu (na verdade, é Plutão disfarçado) atrai Eurídice e toma o mesmo veneno que ela, em nome do amor. Ela morre e é conduzida por Aristeu/Plutão para o inferno. Orfeu fica feliz com a morte da mulher, mas, para seu desfortúnio, a opinião pública exige-lhe que a vá salvar.

Entretanto, no Monte Olimpo, os deuses exigem mais diversão e melhor comida.

Já no Inferno, em virtude de investigar a difícil situação, na qual se encontra Orfeu, o próprio Júpiter, disfarçado de mosca, apaixona-se por Eurídice. Na festa dos “olimpianos”, Júpiter consente que Orfeu recupere a sua mulher, desde que não se vire para trás no seu regresso. Mas Júpiter provoca Orfeu e este vira-se e Eurídice é forçada a permanecer no Inferno, como bacante.

Nuevo Tango Argentino com Trio Porteño

Fundado por Filipe Ricardo, António Justiça e Davide Amaral, o Trio Porteño procura explorar uma combinação instrumental pouco convencional: uma concertina e duas guitarras. Esta aventura num formato pouco comum tem como ponto de partida o Nuevo Tango Argentino.

Filipe Ricardo, natural de Águeda (1974), é músico, professor, compositor e produtor e licenciado pelo Instituto Superior Jean Piaget de Viseu. É membro fundador do grupo Danças Ocultas com o qual gravou vários discos. Paralelamente a este grupo, desenvolveu outros projetos relacionados com música para dança e também musicoterapia.

António Justiça, nascido em Ílhavo em 1979, é músico, professor e compositor. Estudou no Conservatório de Música de Aveiro e na Universidade de Aveiro,  gravou com o Síntese, Grupo de Música Contemporânea, em 2010, e tocou como solista com a Orquestra Filarmonia das Beiras.

Davide Amaral é natural de Águeda (1979), é músico, professor e compositor. Licenciado pela Universidade de Aveiro em Ensino de Música, é autor do livro “PIMA – 20 peças de iniciação à guitarra” editado pela AVA – Musical Editions.

Mais informações: http://www.ua.pt/festivaisdeoutono/2014/entrada .

Programa dia 13 de novembro – Trio Porteño

(Auditório do Departamento de Comunicação e Arte – Universidade de Aveiro)

Tango, Milonga y Final - M. D. Pujol

Tango n.º 2 - A. Piazzolla

El dia que me quieras - C. Gardel

Tango en Skai - R. Dyens

Pontos de Passagem - Trio Porteño

Estaciones Porteñas - A. Piazzolla

     - Invierno Porteño

     - Primavera Porteña

     - Verano Porteño

 

Festivais de Outono 2014 - Programa dia 14 de novembro – Ópera Orfeu nos Infernos

(Teatro Aveirense)

Intervenientes:

Orquestra Filarmonia das Beiras

Coro de Câmara da Academia de Música de Castelo de Paiva

Eurídice Daniela Matos

Orfeu Pedro Rodrigues

Aristeu/Plutão André Lacerda

Júpiter Miguel Maduro-Dias

Opinião Pública Daniela Araújo

Cupido Diana Ochôa

Diana Mariana Lopes

Vénus Nataliya Gorban

Mercúrio Carlos Lima

John Styx Carlos Lima

Juno Catarina Vita

 

Ficha Artística

Direção musical António Vassalo Lourenço

Encenação Claudio Hochman

Desenho de luz Dino da Costa

 

Ficha Técnica

Assistente de Encenação Manuel Jerónimo

Operação de luz Dino da Costa

Técnico de palco Lino Aidos

Pianista Correpetidor Valeriu Stanciu

Produção OFB Artur Neves, Bruno Marques

Produção Executiva Belinda Morais, Margarida Mendes, Rita Carvalho

Coprodução Estúdio de Ópera do Centro/Orquestra Filarmonia das Beiras/Universidade de Aveiro

Duração: cerca de 120m

Classificação etária: maiores de 6 anos

imprimir
tags
evento relacionado
 
outras notícias