conteúdos
links
tags
Distinções
Joana Leal e João Matos, do Departamento de Química e do CESAM, em destaque
Investigações da UA premiadas pela International Humic Substances Society
João Matos e Joana Leal em destaque entre jovens cientistas de todo o mundo
Joana Leal e João Matos, doutorandos do Departamento de Química (DQ) e do Centro de Estudos de Ambiente e Mar (CESAM) da Universidade de Aveiro (UA), foram homenageados e premiados pela International Humic Substances Society (IHSS) numa cerimónia que decorreu na cidade de Ioannina (Grécia). Os prémios entregues pela IHSS tiveram por objetivo premiar jovens estudantes graduados que estejam a desenvolver projetos de doutoramento e contaram com a candidatura de dezenas de investigadores de todo o mundo cujos trabalhos foram avaliadas pelo IHSS Travel Support Award Committee.

O processo de avaliação que distinguiu os dois investigadores da UA valorizou primariamente a qualidade e originalidade do conteúdo científico do trabalho. Adicionalmente, cada jovem investigador premiado devia ser parte ativa e principal do planeamento e condução da investigação no campo das substâncias húmicas.

Joana Leal e João Matos apresentaram trabalhos independentes na área da Química Ambiental e foram selecionados para integrar a lista de premiados que incluiu alunos de 12 países. Os dois doutorandos tiveram a oportunidade de fazer apresentações orais e em poster para uma plateia de investigadores conceituados em todo o mundo.

Trabalhos inovadores made in UA

O trabalho da doutoranda Joana Leal intitulado “Does light-screening by Humic Substances completely explain their retardation effect on contaminants photo-degradation? ” foca o efeito inibidor das substâncias húmicas aquáticas (principais constituintes da matéria orgânica natural) na degradação de dois contaminantes orgânicos – o antibiótico oxitetraciclina e o retardador de chama BDE-209 – por ação da luz solar.

O estudo demonstra que o efeito de filtro da luz, ao qual é geralmente atribuído o efeito inibidor provocado pelas substâncias húmicas, não explica completamente a retardação da foto-degradação de alguns contaminantes orgânicos e propõe outros mecanismos que podem assumir maior relevo. A doutoranda tem a orientação de Valdemar Esteves e de Eduarda Santos, ambos professores no DQ.

"A atribuição deste prémio e o reconhecimento internacional do meu trabalho representam para mim uma enorme satisfação e uma valorização acrescida pelo que faço”, diz Joana Leal. “Tive a oportunidade de conhecer pessoalmente alguns dos mais conceituados investigadores da área e a troca de ideias com eles foi uma experiência muito enriquecedora e motivante, quer a nível profissional como pessoal", afirma.

João Matos apresentou uma comunicação intitulada “Natural organic matter in urban atmospheric aerosols: profiling the water soluble components using comprehensive two-dimensional liquid chromatography”, que teve a coautoria de Regina Duarte e de Armando Duarte.

O trabalho demonstra o potencial da utilização da multidimensionalidade dos dados obtidos pela técnica de cromatografia líquida bidimensional abrangente para identificar a “impressão digital” dos componentes orgânicos solúveis em água dos aerossóis atmosféricos urbanos ao longo do ano e avaliar a respetiva variabilidade sazonal.

"Ver o meu trabalho distinguido entre tantos outros, por um painel internacional de elevada relevância científica como é o caso da IHSS, representou uma enorme e extraordinária motivação para o desenrolar do meu doutoramento”, congratula-se João Matos. O investigador aponta ainda que “a troca de ideias com outros investigadores, especialmente os jovens cientistas premiados, provenientes de todo o mundo, promoveu sem dúvida um alargar de horizontes científicos para o futuro".

imprimir
tags
outras notícias