conteúdos
links
tags
Campus
Professor João A. P. Coutinho traz para Aveiro forte parceiro da indústria de processamento de hidrocarbonetos
KBC e Universidade de Aveiro cooperam para a extensão do modelo CPA no Programa Multiflash
O investigador João Coutinho
A KBC Advanced Technologies plc (KBC) vai colaborar com a Universidade de Aveiro (UA) no desenvolvimento de uma extensão abrangente do modelo CPA através do financiamento de um projecto de doutoramento e disponibilizando cópias dos programas Multiflash e Petro-SIM para fins de investigação e educacionais. Esta é já a segunda vez que a empresa, fornecedora de ponta de soluções de consultadoria e de software para a indústria de processamento de hidrocarbonetos, vai colaborar com a equipa de João Coutinho, investigador do CICECO. A parceria já aconteceu quando os investigadores de Aveiro estavam a desenvolver e a implementar o modelo de referência para estes compostos no programa Multiflash.

Base usada para o cálculo de propriedades termofísicas de hidratos e de asfaltenos no programa Multiflash o CPA é também o modelo recomendado para todas as misturas contendo hidrocarbonetos, água, álcoois e sais. Exemplos do seu sucesso incluem aplicações na avaliação do risco de formação de asfaltenos e sua precipitação e na avaliação da distribuição de mercúrio em instalações de processamento de gases.

O modelo CPA fornece a robustez de uma equação de estado com a adição de um termo associativo capaz de lidar explicitamente com espécies associativas como água e álcoois. Apenas a KBC disponibiliza o modelo CPA num software comercial sendo este um modelo bastante apreciado na indústria. 

Embora com resultados excecionais em termos de exatidão e robustez, o modelo CPA no programa Multiflash encontra-se ainda limitado a poucas espécies que formam pontes de hidrogénio, como água, álcoois e glicóis. Para manter a posição de liderança no desenvolvimento do modelo CPA, a KBC pretende melhorar e tornar mais abrangente este modelo, desenvolvendo-o para uma gama maior de compostos químicos e para processos de base e de topo.

O grupo de investigação da UA conta com dez estagiários de pós-doutoramento e dez alunos de doutoramento. Os tópicos de investigação atuais incluem Biotecnologia, Biorefinaria e Tecnologia de Petróleo (propriedades de transporte e de equilíbrio, precipitação de ceras, recuperação avançada de petróleos e dessulfurização de refinados).

UA/KBC: uma ligação frutuosa

“Conheci o Tony Moorwoode o Richard Szczepanski [responsáveis pela KBC] em conferências enquanto trabalhava no desenvolvimentode um modelo para prever a formação de ceras em petróleos, e a Infochem foi a primeira empresa a reconhecer a importância e a qualidade do modelo, e foi um prazer colaborar com eles na implementação do modelo no programa Multiflash”, lembra o investigador João Coutinho.

“A adoção pela empresa do modelo por mim desenvolvido, e o sucesso que ele teve levou a sua incorporação em outros simuladores faz com que ele hoje seja o modelo mais utilizado na indústria para a previsão da formação de ceras em fluidos petrolíferos”, aponta o responsável.

“Esta tem sido uma colaboração longa e frutuosa para ambos os lados que se traduziu também na contratação do Nuno Pedrosa e do António Queimada, dois doutores em Engenharia Química graduados pela Universidade de Aveiro, pela KBC, o que é para nós, um reconhecimento da qualidade da educação proporcionada pela Universidade de Aveiro e pelo meu grupo de Investigação”, diz João Coutinho.

“Estou muito satisfeito por ter, uma vez mais, a oportunidade de colaborar com a KBC no desenvolvimento do modelo CPA para compostos complexos naquela que é uma das principais áreas de desenvolvimento desta equação de estado. Esta iniciativa por parte de uma empresa mostra o papel pioneiro da equipa responsável pelo desenvolvimento do Multiflash, possibilitando novos avanços deste modelo para resolver os novos problemas das indústrias atuais, através da criação de conhecimento e não apenas da sua apropriação”, aponta o investigador do CICECO.

Entre outras instituições e empresas, o grupo KBC colabora ativamente com o grupo CERE (Universidade Técnica da Dinamarca), com o Laboratoire de FluidesCompléxes (Universidade de Pau e Pays de L’Adour, França), com o MATGAS (Barcelona), com a Galp Energia (Portugal), com a Partex (Portugal), com a Petrobras (Brasil) e com um número considerável de universidades brasileiras.

Nota: Está aberto até 31 de outubro um concurso para a atribuição de uma Bolsa de Doutoramento em Empresa no âmbito do projeto intitulado “Desenvolvimento de modelos associativos para a descrição do comportamento de compostos multifuncionais”, financiado pela empresa Infochem-KBC. Mais informações aqui

imprimir
tags
outras notícias