conteúdos
links
tags
Campus
Novos alunos chegam de todo o país e trazem na bagagem expectativas de um futuro risonho
Estudar na UA: o concretizar de um sonho
Matrículas 2014
Vêm com o sonho e a expectativa de que a Universidade de Aveiro (UA) lhes possa dar um futuro mais risonho com a formação e experiência de vida que aqui vão adquirir. Mas também vêm porque sabem que a UA é uma das universidades de referência do país em áreas como Design ou Engenharia, Tecnologia e Computação. A UA dá-lhes as boas vindas e reserva-lhes um futuro que será, sem dúvida, promissor.

Para a grande maioria, entrar na UA é o concretizar de um sonho. Sonho que se tornou realidade com a divulgação das colocações no ensino superior no passado fim de semana. Muitos fizeram as malas e vieram de avião (dos Açores ou da Madeira). Outros fizeram-se à estrada com pais, irmãos, avós e até o cão, que também faz parte da família!

Chegados à UA, começam as burocracias normais nestes processos, mas obrigatórias: desde a entrega de documentação pessoal, preenchimento de boletins de matrícula e inscrição, até uma passagem pelo espaço da Associação Académica da Universidade de Aveiro, e respetivos núcleos, ou do Conselho do Salgado. Enquanto isso, os pais esperam e muitos aventuram-se pelo campus de modo a conhecerem um pouco o local que vai acolher os filhos nos próximos anos.

Nesta fase, o nervosismo e a ansiedade imperam entre os novos estudantes da UA. Mas também a boa disposição. Alguns vinham com apreensão em relação às praxes, mas depois de serem recebidos pelos colegas de curso que efetuam essas práticas, perdem o receio e os seus rostos ostentam, além de algumas pinturas, grandes sorrisos. Porque assim também se fazem amigos para a vida!

As razões que os trazem cá são semelhantes: para muitos a proximidade geográfica pesou bastante; para outros, foi mais importante a qualidade e notoriedade de certas áreas e cursos; casos há que em que importa a formação única a nível nacional em alguns cursos; para outros, ainda, a participação em atividades como a Academia de Verão ou as Competições Nacionais de Ciência na UA em anos anteriores motivou-os a regressar enquanto alunos.

Patrícia tem 18 anos e vem de Idanha-a-Nova. Escolheu Novas Tecnologias da Comunicação (NTC) porque tinha boas referências em relação ao curso e à Universidade e devido ao facto de a UA ser uma das únicas universidades no país com o curso da sua preferência.

Um dos amigos que Patrícia vai fazer será, com certeza, Paulo Rodrigues, de 20 anos, e acabadinho de chegar da Madeira, também para NTC. Escolheu este curso na UA porque já tinha ouvido falar (bem) dele e porque tem amigos a estudarem cá que o aconselharam a juntar-se-lhes.

Vera tem 19 anos e vai estudar Design. Conheceu a UA quando participou nas Competições Nacionais de Ciência, no ensino secundário, e como não estava satisfeita com o curso de Arquitetura que frequentava no Porto, resolveu vir para a UA estudar Design.

Foi também graças a uma participação nas Olimpíadas da Química, há uns anos atrás, que João Amaral, 18 anos, de Viseu, resolveu regressar e estudar, não Química, mas Engenharia de Computadores e Telemática.

Já Carlos Costa, 17 anos, de Paços de Ferreira, não teve a menor dúvida na hora de escolher o curso de eleição: Engenharia e Gestão Industrial (EGI) na UA: “EGI foi a minha primeira opção. É o curso com que sempre sonhei! Sempre gostei da UA. É uma universidade com um grande desenvolvimento tecnológico e foi por isso que a escolhi para concretizar o meu sonho!”.

imprimir
tags
outras notícias