conteúdos
links
tags
Campus
Reestruturação de unidade curricular adapta-se às novas exigências do mercado de trabalho
Estudantes de NTC vão explorar as potencialidades da impressão 3D
Departamento de Comunicação e Arte
Os estudantes do curso de Novas Tecnologias da Comunicação (NTC) vão poder explorar as potencialidades da impressão 3D de objetos e assim ver alguns dos resultados dos trabalhos desenvolvidos na renovada disciplina de Laboratório Multimédia 5. A reestruturação daquela unidade curricular da licenciatura do Departamento de Comunicação e Arte (DeCA) da Universidade de Aveiro vai avançar já a partir do próximo ano letivo dando assim oportunidade aos alunos de conhecer e experimentar uma das tecnologias mais recentes na área da prototipagem. O objetivo é aproximar os conteúdos lecionados à prática que os contextos profissionais exigem cada vez mais.

“A licenciatura em NTC já possui, no plano atual, uma disciplina onde é lecionado um módulo introdutório de modelação 3D e animação 3D”, explica Rui Raposo, professor no DeCA e um dos docentes da disciplina. Mas com o objetivo de dar resposta a uma procura dos alunos por uma maior especialização nas áreas do audiovisual e da programação, está em curso uma alteração ao plano curricular da disciplina de Laboratório Multimédia 5, lecionada no primeiro semestre do 3º ano da licenciatura, com a participação da BeeVeryCreative. A empresa, criada por dois antigos estudantes da UA, teve as suas origens na Incubadora de Empresas da Universidade de Aveiro e é hoje uma referência nacional e internacional da impressão 3D.

Assim, avança o Rui Raposo, “o novo plano curricular inclui uma divisão em dois ramos de especialização e este novo módulo de 3D é parte integrante de um desses ramos”. Este novo módulo visa dotar os alunos de conhecimentos mais avançados relativos à modelação e à animação 3D de acordo com tendências e demandas atuais observáveis no mercado de trabalho. “A inclusão do módulo de impressão 3D é exemplo desta preocupação com o estar a par das tendências no âmbito das tecnologias de informação e comunicação”, afirma o docente.

Na prática, “aos alunos será fornecido um conjunto de conhecimentos que lhes permitirão adequar o seu trabalho de modelação às exigências e requisitos técnicos necessários para a impressão 3D dos seus modelos”. Simultaneamente, desvenda Rui Raposo, “os alunos serão desafiados a refletir sobre as áreas de aplicabilidade deste tipo de tecnologia e a projetar e experimentar novos contextos de uso e metodologias de trabalho que possam integrar a modelação e a impressão 3D como uma mais-valia”. Paralelamente, os estudantes “aprenderão também a utilizar técnicas alternativas de modelação 3D baseadas em fotografia, bem como a integração de tecnologia Kinect em processos de digitalização de objetos e motion capture para animação”.

imprimir
tags
outras notícias