conteúdos
links
tags
Cultura
Compositor e docente do DeCA prepara a estreia de uma mão cheia de obras
Chagas Rosa incansável na divulgação da música contemporânea portuguesa
António Chagas Rosa, um nome incontornável da música contemporânea portuguesa
Chama-se Sond’Ar-te Electric Ensemble e é o título do CD duplo no qual participa António Chagas Rosa, compositor e docente do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro. Na obra, que inclui trabalhos de dez compositores portugueses encomendados em 2012 pelo referido ensemble, António Chagas Rosa apresenta a peça “Música de cena para Santo Antão”. O CD duplo tem edição do Misomusic foi lançado a 5 de junho. Este é apenas mais um trabalho que Chagas Rosa, um nome incontornável da música contemporânea portuguesa, tem para os próximos meses.

Senão, vejamos. Comecemos pela encomenda do Ensemble Musicatreize de Marselha. “Trata-se de uma missa profana para 12 vozes mistas e órgão com textos da autoria de Oscar Wilde extraídos a uma das últimas obras do poeta e dramaturgo inglês, “De Profundis”: uma longa carta escrita na prisão e na qual se inclui uma reflexão sobre Cristo como poeta”, descreve o compositor.

O trabalho tem estreia em Marselha a 30 de junho na Église des Réformés, uma catedral neogótica cujos três órgãos, de matriz romântica, se encontram atualmente restaurados e foram classificados como monumento nacional francês. O programa repete-se a 16 de julho no Festival de Avignon, no Temple de Saint Martial. Estão programados ainda mais dois concertos: Catedral de Riga (Letónia, em outubro) e Catedral de Saint John the Divine (New York, abril de 2015).

Segue-se a encomenda da Casa da Música Porto para o Remix Ensemble. “É um ciclo de canções para soprano coloratura e orquestra de câmara sobre poemas chineses antigos, reescritos pela mão do poeta português Camilo Pessanha, com o nome "Oito elegias chinesas”, aponta António Chagas Rosa. A obra tem esteia na Casa da Música no dia 18 de novembro, tendo como solista a soprano Yeree Suh. Esta estreia inclui-se numa linha de programação que dá este ano especial enfoque ao Oriente.

Passemos à encomenda do coro Les Éléments de Toulouse. Trata-se de uma obra para coro a capella de caráter religioso, cuja estreia está agendada para o dia 5 de maio de 2015 na Catedral de Toulouse e para a qual está prevista uma digressão por quatro festivais de música sacra em França, e também um concerto no festival Cistermúsica de Alcobaça.

Para terminar está em fase de edição um CD monográfico com obras para percussão, integralmente dedicado e interpretado pelos elementos do Grupo Drumming de Percussão. “As obras que constam do disco representam uma panorâmica de dez anos de escrita para instrumentos de percussão em formações várias”, explica o compositor. O destaque vai para o tríptico “Mares”, que consiste numa série de quadros sonoros alusivos aos oceanos.

imprimir
tags
outras notícias