conteúdos
links
tags
Distinções
André Valentim Almeida foi aluno de NTC
Antigo estudante da UA vence prémio no DocLisboa
André Valentim Almeida
Andre Valentim Almeida, antigo aluno da Licenciatura em novas Tecnologias da Comunicação (NTC) da Universidade de Aveiro (UA), recebeu o "Prémio Escolas - Prémio Restart para melhor longa-metragem da Competição Portuguesa" e uma menção honrosa no "Prémio o Ganho do Som" (prémio para melhor primeiraou segunda longa-metragem) da Competição Portuguesa" no DocLisboa 2013. André Almeida apresentou a concurso o filme filme "A Campanha do Creoula", uma obra que documenta uma expedição científica às Ilhas Selvagens em 2010.

André Valentim Almeida foi aluno de licenciatura em NTC entre 1996/2000 e aluno do Mestrado em Gestão da Informação entre 2001/04. Após terminar a licenciatura na UA esteve dois anos como monitor no DeCA e depois ingressou na Universidade do Porto como Assistente. Em 2008 obteve uma bolsa da Fundação para a Ciência e Tecnologia para realizar o doutoramento e, desde então, tem dividido as suas atividades entre investigação e realização de documentários (sendo o agora premiado o seu terceiro). Desde 2008 que também divide a sua vida entre Portugal e Nova Iorque, onde colaborou com uma instituição sem fins lucrativos chamada UnionDocs.

Os seus projetos para o futuro incluem terminar o doutoramento e continuar a realizar filmes.

O filme "A Campanha do Creoula" teve origem num convite da Universidade do Porto para documentar uma expedição científica portuguesa que rumou às Ilhas Selvagens no ano de 2010. Envolvia cerca de 70 cientistas distribuídos por três navios. A André Almeida foi atribuído o Creoula, onde o seu tio-avô terá sido capitão.

A expedição teve início no mês de junho mas durante as três semanas em que esteve embarcado confrontou-se com inúmeras dificuldades logísticas e técnicas que o levaram a pensar desistir, explica.

Só muito tempo depois de terminada a expedição, e sem saber o que fazer às imagens que tinha filmado, descobriu um documentário da década de 1960 chamado “O Navio Branco” (The White Ship), que acompanhou uma campanha do bacalhau a bordo do Santa Maria Manuela, irmão gémeo do Creoula. “Ao ver o filme fiquei simultaneamente deslumbrado com a força das imagens e chocado com a dureza da faina dos pescadores no Atlântico norte”, atividade sobre a qual pouco sabia.  

A curiosidade fez com que investigasse mais, o que o levou até ao livro “A Campanha do Argus”, de Alan Villiers, que relata uma campanha a bordo da embarcação com o mesmo nome. Enquanto lia o livro descobriu, “com surpresa”, o encontro do autor com o seu tio na altura da sua primeira campanha e “foi nesse momento que soube ter encontrado a história do documentário”.

Dei então início ao processo que conduziu “de forma solitária” (como tem sido prática nos seus filmes), colecionando mais informações e imagens sobre o tema; escrevendo e gravando a voz off com recurso à voz do também aveirense Rui Oliveira e efetuando a montagem final, utilizando para tal imagens da expedição justapostas a imagens de arquivo. A realização do documentário foi sempre feita com entusiasmo pois trabalhava temáticas e geografias próximas: parte da sua família está ligada a Ílhavo, terra de forte tradição marítima.

André Valentim Almeida já tinha em 2011 concorrido na competição portuguesa do Indie Lisboa com o filme “From New York with Love”.

SINOPSE

Um realizador parte a bordo da embarcação Creoula rumo às Ilhas Selvagens para documentar a maior expedição científica portuguesa de sempre. Durante a viagem encontra memórias das duras campanhas portuguesas do bacalhau nos Mares do norte que o seu tio Zé terá enfrentado, o que o leva à descoberta do passado do seu país e à do seu próprio passado.

Crítica da obra premiada disponível aqui.

Mais informações sobre o DocLisboa aqui.

imprimir
tags
outras notícias