conteúdos
links
tags
Opinião
Artigo de opinião da autoria de Alexandre Cruz, Provedor do Estudante
Ser estudante é pensar e repensar
Alexandre Cruz, Provedor do Estudante
Este é o ano em que se assinalam várias efemérides na Universidade de Aveiro: aos 40 anos da Universidade juntam-se os 35 da Associação Académica. O percurso e o futuro da academia são objeto de reflexão num texto assinado pelo Provedor do Estudante da UA, Alexandre Cruz.

Vivemos um ano especial na comunidade universitária, devendo por isso ser tratado como tal. Os aniversários “redondos” da Universidade de Aveiro (4 décadas) e da Associação Académica (35 anos) são oportunidade de pensar e repensar as vivências, convivências, dinâmicas, inclusões, projetos e visões futuras.

Neste âmbito, para cada sede própria os desafios da atualidade serão imensos, quer provenientes da observação da realidade mais localizada, quer da perceção e síntese do que vemos no mundo e que estimulará novas aberturas e respostas do mundo universitário.

Um campus que pensa é o pertinente lema dos 40 anos da Universidade de Aveiro, o qual quer merecer de todos a aceitação do pensar e repensar, no convite e pertença à reflexão…

Do que se vai pensando mundialmente e em curso localmente, repensar a otimização do tempo e espaço de aula e repensar as potencialidades de otimização do tempo e espaço fora de aula no âmbito ensino-aprendizagem, da informalidade à conceptualização.

Repensar a liderança como autêntico serviço, os serviços, as instâncias intermédias e todas as redes nos pressupostos da exemplaridade ética dadora de uma ambiência culturalmente transmissora de valores e princípios para o (nosso) bem comum.

Repensar em tempos de globalização as potencialidades e alcances do trabalho em equipa, em rede, em parceria, em interculturalidade e interdisciplinaridade, repensando o decisivo método para otimização de tudo na receção de conhecimento(s) e suas interações.

Repensar a pedagogia da representatividade em todos os níveis como fator de rigor exemplar e de ser palavra não meramente pessoal mas representativa de grupo, de área e de comunidade.

Repensar novos alcances do acolhimento ao estudante estrangeiro para a otimização de convivências na comunidade internacional universitária que é hoje o mundo do ensino superior, potenciando integrada e maximizadamente toda a rede global acolhedora.

A partir da chave do desenvolvimento para todos os domínios, repensar ampliando as potencialidades da relação entre comunidade universitária e comunidade social envolvente, das cidades UA em extensões próprias ao nível regional e nacional.

No quadro do associativismo estudantil, repensar para garantir preventivamente liderante integridade de procedimentos em boa e aberta visão de conjunto que salvaguarde as responsabilidades éticas e sóbrias de cada um e de todos nos processos de participação, consulta, eleição, afirmações públicas, utilização de símbolos, linguagens e relações humanas, opções que integradoras em parceria garantam o melhor futuro coletivo na energia da vida estudantil.

Valorizando a Praxe Académica que nos garante o excelente sal do acolhimento, criatividade, festa e solidariedade inclusiva – compreendendo e não generalizando situações de exceção, todavia estas a merecerem atenta vigilância como praxis – continuar em sede própria o repensar em código do itinerário e calendarização da praxe, numa conveniente atualização ao novo quadro de Ensino Superior (1.º ciclo, 3 anos), parecendo-nos recomendável ao termo de Outubro o termo de todas as ações de praxe do 1.º Semestre.

Repensar o tempo e o lugar do cívico e num quadro de cidadania perguntar sobre os porquês da menor participação e indiferença, auscultando a fundo para proposta pedagógica aberta ao futuro, pois: estudante hoje e profissional de amanhã, só pode(s) participar!

Alexandre Cruz
Provedor do Estudante da Universidade de Aveiro

imprimir