conteúdos
links
tags
Investigação
Projeto do grupo Coração Saudável vence AUA – Angelini University Award
Investigadores da UA querem baixar a tensão arterial com suplemento de alga
A equipa do Coração Saudável: (em cima) Bárbara Pereira, Sandra Vieira e João Almeida, (em baixo) Patrícia Azevedo, Joana Fernandes e Bárbara Maia
É um suplemento alimentar desenvolvido a partir de uma alga e promete contribuir para baixar a tensão arterial quando consumido na forma de manteiga ou outro produto alimentar. A ideia partiu da equipa Coração Saudável fundada por um grupo de estudantes e docente da Universidade de Aveiro (UA) com o objetivo de sensibilizar a população para os perigos da hipertensão arterial e para a importância da adoção de um estilo de vida saudável. O projeto acaba de ganhar a edição deste ano do AUA – Angelini University Award.

A equipa de investigadores da UA que se propõe baixar a hipertensão da população portuguesa com um simples barrar de manteiga no pão é constituída por estudantes do curso de Ciências Biomédicas e é coordenada por Sandra Vieira, professora de Biotecnologia Clínica na Secção Autónoma de Ciências da Saúde da academia de Aveiro. O trabalho dos investigadores que cativou o júri da AUA pretende desenvolver um suplemento nutracêutico que terá como base uma alga com propriedades anti-hipertensoras.

Por outras palavras, o projeto quer isolar de uma alga – cujo nome está no segredo do laboratório dos investigadores - elementos com propriedades terapêuticas que possam ajudar a diminuir a pressão arterial. A ideia é que esse suplemento possa entrar no mercado misturado num produto de consumo generalizado como é o caso das manteigas ou das margarinas.

Comercialização à vista

O prémio recebido da AUA, seis mil euros para uma bolsa de estudo acrescidos de um subsídio de investigação de três mil euros para a docente que acompanhou o trabalho, vai permitir desenvolver o suplemento nutracêutico. O primeiro passo é produzi-lo a uma escala laboratorial para que depois os investigadores possam passar a produção para uma escala industrial que permita a sua comercialização em produtos de alimentares.

"Temos pensado em manteigas e margarinas para incorporar o suplemento", adianta Sandra Vieira, coordenadora do grupo Coração Saudável. A equipa irá dedicar-se à otimização da produção laboratorial por meios biotecnológicos, tendo já estabelecido parcerias para o subsequente aumento de escala da produção.

O projeto Coração Saudável foi igualmente distinguido pelas ações de sensibilização da população sobre o problema da hipertensão arterial, o principal fator de risco para as doenças cardiovasculares, que atinge hoje um em cada três portugueses. De salientar que esta incidência tem vindo a aumentar, como confirmado por um estudo recente (PHYSA) da Sociedade Portuguesa de Hipertensão. “'Se pensarmos que as doenças cardiovasculares são uma das principais causas de morte em Portugal, apercebemo-nos que o cenário é realmente alarmante e que urgem ações de sensibilização e profilaxia”, afirma Sandra Vieira.

Para alertarem a população para as consequências da tensão arterial elevada, os estudantes universitários do Coração Saudável já organizaram palestras em escolas e institutos, caminhadas de sensibilização e estão já a preparar sessões interdisciplinares sobre nutrição, exercício físico e hipertensão.

Composto pelos alunos Bárbara Maia, Bárbara Pereira, Joana Fernandes, João Almeida e Patrícia Azevedo, o Coração Saudável também já elaborou um guia, corrigido cientificamente pelo médico José Mesquita Bastos e aprovado pela Sociedade Portuguesa de Hipertensão, com informação sobre hipertensão e nutrição, além de esclarecer sobre alguns dos mitos instalados sobre o tema. Parte desta informação pode ser encontrada na plataforma online do grupo situada em coracaosaudavel.web.ua.pt.

imprimir
tags
outras notícias