conteúdos
links
tags
Opinião
Texto de opinião de Andreia Rocha, docente da ESSUA
A perspetiva bio-psico-social do Fisioterapeuta e a procura da máxima funcionalidade dos utentes
Andreia Rocha, docente da ESSUA
Tem dificuldades em deslocar-se, tem dores quando faz movimentos, sente limitações ou deixou de poder realizar as suas atividades habituais devido à sua condição de saúde? O fisioterapeuta pode “dar uma mão” para recuperar a sua capacidade funcional. A docente da Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro (ESSUA), Andreia Rocha, escreve sobre o papel do fisioterapeuta, a propósito do Dia Mundial da Fisioterapia que se assinalou a 8 de setembro.

O Fisioterapeuta centra-se na análise e avaliação do movimento e da postura, baseadas na estrutura e função do corpo, utilizando modalidades educativas e terapêuticas específicas.

A sua intervenção processa-se numa perspetiva bio-psico-social e procura a obtenção da máxima funcionalidade dos utentes. O fisioterapeuta, com base numa avaliação sistemática, planeia e executa programas específicos de intervenção, para o que utiliza, entre outros meios, o exercício físico, terapias manipulativas, eletroterapia e hidroterapia. Desenvolve ações e colabora em programas no âmbito da promoção e educação para a saúde.

Pode encontrar o fisioterapeuta nos hospitais, centros de reabilitação, centros de saúde, estâncias termais, departamentos de saúde ocupacional de empresas, estruturas desportivas, escolas, instituições de ensino especial e instituições de apoio a idosos, e na clínica privada.

O fisioterapeuta atua em condições de saúde que afetam as funções musculo-esqueléticas, neurológicas, cardiorespiratórias, vestibulares, intervém na pediatria, em oncologia, no desporto, e na saúde da mulher, entre outras condições.

Relevante ainda é a intervenção do fisioterapeuta no espaço físico e contexto de vida das pessoas, facilitando o retorno à participação social dos seus utentes. A avaliação das barreiras arquitetónicas, a avaliação das tecnologias de apoio mais adequadas à função e o treino de competências dos cuidados podem fazer toda a diferença quando se pretende melhorar a qualidade de vida e a dignidade da pessoa humana.

A atividade do Fisioterapeuta nos vários contextos de atuação - na promoção da saúde, prevenção da doença e incapacidade, tratamento da doença, lesões ou disfunções e reabilitação - é uma realidade cujos benefícios sociais e económicos para os utentes e seus familiares são amplamente reconhecidos.

 

Andreia Rocha

Fisioterapeuta e Assistente da ESSUA

imprimir
tags
outras notícias