conteúdos
links
tags
Cultura
Fernando Correia é um dos ilustradores representados
UA apoia exposição internacional de paleoarte em Arouca
Tyranossaurus rex por Fernando Correia
"Paleoarte: fósseis que ganham vida" é uma exposição composta por ilustrações da biodiversidade do passado da Terra, através de uma abordagem artística, onde impera o rigor científico. Está patente, de 15 de maio a 14 de julho, no Museu Municipal de Arouca, com ilustrações de autores de diferentes nacionalidades, incluindo ilustrações de Fernando Correia, diretor do Laboratório de Ilustração Científica do Departamento de Biologia da UA.

Esta exposição é da responsabilidade da Associação Geoparque Arouca (AGA) e da Câmara Municipal de Arouca, com o apoio da Universidade de Aveiro (UA), através do Laboratório de Ilustração Científica (LIC) do Departamento de Biologia, da Universidade de Trás-os- Montes e Alto Douro, e da Comissão Nacional da UNESCO.

A iniciativa surge na sequência de um concurso internacional em Natal, Brasil, durante o XXII Congresso Brasileiro de Paleontologian (2011), em que o ilustrador e biólogo Fernando Correia foi um dos organizadores, assim como foi curador da exposição que se lhe seguiu e decorreu na mesma cidade. 

Ao contrário da exposição no Brasil, Fernando Correia, diretor do LIC, é um dos autores com trabalhos expostos em Arouca. Entre os prémios que o ilustrador científico recebeu refere-se o Focus On Nature VIII Natural History Illustration Award (N. Y. State Museum), o único prémio desta categoria atribuído, até hoje, a um português, o Grande Prémio Stuart de Imprensa Nacional El Corte Inglés (categoria Ilustração'2005), que pela primeira vez atribuiu um prémio monetário a uma ilustração científica que constava de uma das faces (cetáceos dos Açores) de um poster desdobrável publicado na revista National Geographic (ed. Portuguesa), e o Best Edit pela National Geographic Internacional – distinguiu uma ilustração paleontológica (Lusonectes sauvagei, plesiossauro nova sp.) de uma página da edição portuguesa daquela revista, entre as 30 edições internacionais publicadas nesse mês de março de 2012.

Fernando Correia finaliza, atualmente, o seu próximo livro que incidirá sobre o domínio da Paleoarte, numa vertente de recolha e investigação, tendo como suporte imagens submetidas a um concurso internacional que o ilustrador e biólogo criou e organizou em 2011. A primeira edição desta obra será editada no Brasil.

A Paleontologia sempre necessitou de arte (Figuração Paleontológica) e é nesse sentido que surge a Paleoarte, explica o diretor do LIC, como uma expressiva manifestação figurativa do saber, conciliando o conhecimento da geologia e da biologia, sobre espécies extintas. Sensibilizar ou direcionar para o contexto e realidade paleontológicos e das ciências geológicas afins é o objetivo primordial da Paleoarte.

imprimir
tags
ficheiros associados
evento relacionado
 
outras notícias