conteúdos
links
tags
Opinião
Opinião de Anabela Pereira, professora do Departamento de Educação
Dia Mundial Contra o Cancro: a intervenção da UA e o protocolo com a LPCC
Anabela Pereira
O Dia Mundial da Luta Conta o Cancro motiva o texto de opinião de Anabela Pereira, professora do Departamento de Educação da UA. A professora e psicóloga clínica faz um balanço do trabalho desenvolvido a partir do protocolo e explica a amplitude da cooperação, assinalando as diversas facetas da UA envolvidas.

De acordo com a OMS, o cancro é uma das principais causas de morte no mundo, estimando-se que a doença tenha sido responsável por 84 milhões de mortes na última década.

A celebração do Dia Mundial baseia-se na Carta de Paris, aprovada em 4 de Fevereiro de 2000, na Cimeira Mundial Contra o Cancro para o Novo Milénio, a qual apelou aliança entre investigadores, profissionais de saúde, doentes, governos e parceiros da indústria no âmbito da prevenção e tratamento do cancro.

O número de mortes por cancro não pára de aumentar em Portugal e, em 2010, quase 25 mil portugueses morreram vítimas de um tumor maligno, segundo dados do INE, registando-se um aumento de 12 %.  

São diagnosticados anualmente, na Europa, 3,2 milhões de novos casos de cancro, essencialmente cancro da mama, colo-retal e do pulmão. São cruciais a adoção de estilos de vida mais saudáveis e programas de rastreio eficazes que permitam um diagnóstico e  tratamento precoces, bem como a auto-responsabilidade para a prevenção individual de cancro.

Atenta a esta realidade a Universidade de Aveiro e a Liga Portuguesa Contra os Cancro assinaram, em 2012, um Protocolo de Cooperação integrado no projeto educativo institucional da UA, com particular incidência no Centro de Saúde Universitário dos Serviços de Acção Social da UA, que desenvolvem a sua missão em ambiente multidisciplinar, onde intervêm, entre outros, médicos, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais e os próprios professores e estudantes, individualmente, ou por intermédio das suas estruturas representativas. Por parte da Liga Portuguesa Contra o Cancro a cooperação na área da oncologia, estimulando e apoiando a formação e a investigação em oncologia, visando a promoção da saúde, a prevenção da doença e o apoio ao doente oncológico em todas as fases da doença.

Neste protocolo salienta-se a cooperação ao nível da Investigação (projetos em curso com DE, DB e SACS), Formação (estagiários) e Intervenção (consultas). Merece-nos particular relevo a intervenção em duas áreas específicas: a educação para a saúde pelos pares (intervenção nos fatores de risco - álcool, tabaco e promoção de estilos de vida mais saudável); a psico-oncologia (qual área emergente, focalizada para as necessidades psicossociais do doente, sua família, profissionais de saúde e para a influência dos fatores emocionais e comportamentais da doença).

A colaboração de investigadores, psicólogos e docentes da UA, na consulta de psico-oncologia tem vindo a revelar-se como parte de uma estratégia de intervenção global com claros benefícios para os utentes, através de atitudes cognitivas mais marcantes evidenciando-se o apelo ao cuidado ao outro. A intervenção precoce ao nível da prevenção, deteção e tratamento, promoverá melhoria da qualidade de vida do individuo.  

 

Anabela Pereira

Professora do Departamento de Educação da UA

imprimir