conteúdos
links
tags
Entrevistas
Pessoas UA: Deolinda Lopes, coordenadora técnica no Gabinete de Apoio aos Serviços de Gestão Académica
“Gostava que a UA fosse pioneira na criação de um lar para a terceira idade”
PessoasUA: Deolinda Lopes
É perita em pregar partidas aos colegas e revela um grande espírito de camaradagem. Sempre foi acarinhada pelos estudantes, dando-lhes sempre ânimo e força para nunca desistirem! Deolinda Lopes está na Universidade de Aveiro (UA) há quase 41 anos. Nasceu em Angola, mas viveu e cresceu em Moçambique. Atualmente mora na Gafanha da Nazaré. Sempre trabalhou nos Serviços de Gestão Académica (SGA) da UA que conhece como a palma da mão.

Em que circunstâncias veio trabalhar para a UA?

Vivia em Maputo e trabalhava nos Serviços Sociais da Universidade Eduardo Mondlane. Regressei a Portugal em fevereiro de 1977, nas circunstâncias em que a maioria das pessoas vieram das ex-colónias. Ingressei no Quadro Geral de Adidos. Os meus pais, entretanto, como também eram funcionários públicos foram logo colocados na UA. Eu também consegui o meu destacamento em novembro de 1978 e entrei logo para os SGA, onde ainda permaneço.

descrição para leitores de ecrã
Deolinda num encontro com colegas de uma formação em RankXerox (datilografia)

Quais as funções que desempenha no seu serviço?

Sou coordenadora técnica no Gabinete de Apoio aos SGA. Faço trabalho administrativo e desempenho todo o serviço inerente aos SGA, desde atendimento a estudantes e docentes nas diversas áreas. 

descrição para leitores de ecrã
Decorria o ano 1985 e Deolinda estava presente na primeira entrega diplomas aos recém-formados

Se não tivesse a profissão que tem, o que gostaria de ser?

Nunca fui muito ambiciosa, por isso, provavelmente, se me dessem a escolher, não desejaria ter outra profissão. Gosto muito do que faço. É para mim muito gratificante ir ao encontro daquilo que um atual ou futuro estudante pretende. Ao longo destes anos sinto que fui prestável a variadíssimos estudantes, ajudei-os a encontrar o caminho deles motivando-os com pequenas conversas que, em alguns casos, sortiram efeitos. Através destes pequenos gestos, fiz amizades, algumas de coração! Uns hoje são docentes, outros empresários e outros bem empregados em grandes empresas. Tento dar o meu melhor e o mais compensador nisto foi a amizade que construí. Primeiro enquanto alunos, depois já como pais e agora com os seus filhos.

descrição para leitores de ecrã
Foto da esquerda: Deolinda está sempre presente em muitas das atividades realizadas pela AFUAv como o jantar de Natal anual. Foto da direita: Deolinda na entrega de diplomas com alunas com quem criou uma enorme amizade

O que gosta de fazer nos seus tempos livres?

Faço algumas coisas. Sou voluntária no Hospital de Aveiro através da Liga dos Amigos do CHBV - Centro Hospitalar do Baixo Vouga.

Pratico yoga, faço caminhadas, frequento aulas de ginástica de manutenção, gosto de fazer croché, de costurar, de cozinhar e sinto um enorme prazer em viajar.

O que a fascina nestes passatempos?

Aliviam-me o stress. E no caso concreto da minha atividade de voluntariado no Hospital, esta faz com que me sinta útil aos doentes ao servir, conversar e até brincar em algumas situações.

Há algum momento que queira partilhar que a tenha marcado na UA?

Quem me conhece, quem trabalhou e trabalha comigo ao longo destes anos, sabe que tenho imensas histórias nestes longos anos nos serviços. Quando vim para os SGA era a mais nova, sempre fui muito divertida e ‘gozona’. Adorava e adoro pregar partidas. Fiz muitas, mas não as posso contar todas.

Uma delas foi com o colega Sérgio Cruz que na altura trabalhava comigo. Íamos para uma reunião, mas não sem antes tomar um café. Lembrei-me de lhe colar o pires à chávena. Foi uma risada total porque ele não conseguia tomar o café.

Outra foi com um dos chefes que tivemos. Também íamos para uma reunião e eu resolvi colocar-lhe fita cola transparente nos óculos e ele não conseguia ler os tópicos da reunião e só se queixava que estava com problemas na visão. E há muitas mais… Com o Fernando Batista, com o José Rodrigues da Rocha, com o Prof. Carlos Costa do DEGEIT e com vários colegas como a Sónia Cruz, o César Fernandes, a Gina Roque, o Nelson Pacheco, o Miguel Guimarães…São muitos para enumerar! Nem o Dr. Mário Pelaio e a Dra. Maria João Soares escaparam!

descrição para leitores de ecrã
Deolinda sempre com a sua boa disposição e sempre com um truque na manga no que toca a partidas

Considera-se uma pessoa realizada na UA?

Tenho sido uma privilegiada em matéria de carinho e respeito por todos os colegas. Quando fiz 40 anos nos SGA fui surpreendida com uma festa. Os meus colegas compartilharam diversos momentos que passei ao longo destes 40 anos nos Serviços. Fiquei muito emocionada e muito agradecida a todos.

descrição para leitores de ecrã
É visível a amizade entre a Deolinda e os seus colegas, a sua boa disposição e companheirismo com todos. Nesta foto Deolinda comemorou 40 anos nos SGA e os colegas prepararam-lhe uma surpresa

Que sonho gostaria de ver realizado? 

Que a UA fosse pioneira na criação de um lar para a terceira idade abrangesse todos os funcionários da UA… do género de um lar que existe em Aveiro, mas só para docentes.

De que mais sente saudades?

Na minha vida pessoal tenho muitas saudades da minha terra (Lourenço Marques). Da UA tenho saudades do tempo em que todos se cumprimentavam e se respeitavam. Do ambiente de amizade e quase familiar entre as pessoas, docentes e não docentes, da camaradagem que existia. Hoje esse ambiente não existe. A Universidade cresceu muito, é verdade, mas as pessoas ainda não se consciencializaram que ninguém é mais que ninguém, que há lugar para todos e momentos para tudo! Eu tenho um lema que aplico muitas vezes: nós precisamos de todos até mesmo do coveiro… é bom pensar nisto!! Só temos que nos respeitar entre colegas e hierarquias porque ninguém consegue construir uma casa como a UA sozinho! 

descrição para leitores de ecrã
Deolinda com diversos colegas na despedida da Dra. Fátima Duarte – Ex. Administradora da UA

O que gostava de ver concretizado na UA?

Era muito bom que a Universidade de hoje tivesse mais preocupação com os seus colaboradores e os estimulasse (com alguma atenção) de forma a que voltassem a vestir a ‘camisola amarela’… (até se podia mudar de cor)!

Tenho esperança que tudo isto ainda possa acontecer nesta nova UA!

Um dia…

Gostava de criar um Novo Mundo Melhor… menos sarcástico, menos astucioso, sem guerras, e violências. Mais carinhoso com muita paz e amor… Seríamos todos um pouco mais felizes!

________________________________________________________________________

A série #PessoasUA pretende mostrar as estórias e vivências das pessoas que fazem a comunidade UA. Se conhece alguém que deva estar aqui retratado, envie-nos uma mensagem para noticias@ua.pt com as suas dicas

imprimir
tags
outras notícias