conteúdos
links
tags
Entrevistas
Professores UA: Rui Costa, professor do DEGEIT na área do Turismo
“A formação em turismo da UA é reconhecida nacional e internacionalmente”
Rui Costa, professor do DEGEIT, sente um enorme orgulho ao ver ver o crescimento pessoal e profissional dos alunos
Sente um grande orgulho em ver o crescimento pessoal e profissional dos alunos e em sentir que, de alguma forma, os docentes são responsáveis por esse crescimento. Rui Costa, professor do Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo (DEGEIT), formado na casa, não dispensa um sorriso e um café no dia a dia. Como investigador, dedica-se ao planeamento e projeto em turismo, redes, governança e políticas públicas, dinâmicas territoriais de investimento e financiamento das pequenas e microempresas do sector do Turismo. Garante que a formação em Turismo da UA é reconhecida lá fora e cá dentro.

Como define um bom professor? Na sua perspetiva, que caraterísticas deve ter um bom professor?

Um professor deve ter máximo Respeito e Educação pelos alunos, principal razão para a sua existência, independentemente da nacionalidade, da idade, do género, e do estatuto social. Disponibilidade e Flexibilidade: Tendo em atenção as necessidades e limitações de alguns alunos, que trabalham, ou frequentam um estágio ou se encontram deslocados da Aveiro, e necessitam de uma maior disponibilidade e flexibilidade horária por parte do professor. Dedicação: Acompanhamento ao longo de todo o processo de aprendizagem, nomeadamente nas fases em que é necessária a intervenção do professor para desbloquear situações mais difíceis, ou alavancar o processo de aprendizagem. Motivação: Incentivando a melhoria constante, a procura por melhores resultados, e o apoio em períodos de maior desânimo ou de intenso trabalho. Competência e Rigor: Na forma como transmite os conhecimentos, de uma forma sólida, clara e objetiva, e de fácil compreensão.

O que mais o fascina no ensino/na profissão docente?

Enorme fascínio e um grande orgulho em ver o crescimento pessoal e profissional dos alunos, e sentir, que de alguma forma, somos responsáveis por esse crescimento. E ter a oportunidade de os ver, no futuro, a ‘vencer’ no mercado de trabalho!

Como qualifica a formação que é dada aos estudantes no(s) curso(s) a que está (esteve) ligado?

Reconhecimento internacional e nacional da formação da área turismo da UA. Formação de excelência, corpo docente de referência em termos internacionais e nacionais, competente, dedicado, disponível e motivado.

Se lhe fosse pedido um conselho dirigido aos alunos, que conselho daria?

Devem lutar pelo seu futuro num mercado de trabalho cada vez mais competitivo, devem ser humildes e resilientes, mas também devem demonstrar grande confiança nas suas capacidades individuais e na formação que adquiriram na UA.

Houve alguma turma/grupo de alunos/aluno que mais o tivesse marcado? Porquê?

Cada turma/grupo de alunos é especial, e todos deixam a sua marca! Aprendo sempre com cada um deles e também tenho a oportunidade de partilhar o meu conhecimento e experiência. No entanto, recordo-me das duas primeiras turmas/grupo de alunos a quem lecionei nos primeiros dois anos na UA, por terem sido as primeiras turmas e também pelas suas características pessoais, esses dois grupos ficaram ‘gravados’ na minha memória. Ainda hoje, e pelas mais variadas razões, contacto com alguma frequência com vários desses alunos.

Pode contar-nos um episódio curioso que se tenha passado em contexto de sala de aula ou com estudantes (constrangimento/situação agradável)?

A boa disposição é frequente em todas as aulas, por vezes existem algumas ‘picardias’ espontâneas e saudáveis sobre futebol, permitindo uma maior proximidade, cumplicidade, disponibilidade e motivação no grupo.

Como vê o “boom” do sector do Turismo em Portugal? É sustentável? Como evitar que se torne uma bolha que expluda daqui a algum tempo?

O país deve aproveitar a dinâmica/evolução que se verifica no setor do turismo para se adaptar a novas realidades e ‘orientar-se’ para um crescimento sustentado do setor. Para isso, deve realizar uma análise prospetiva e planear adequadamente a estratégia de crescimento e desenvolvimento para o futuro, tendo por base decisões informadas e ligando-se cada vez mais aos centros de conhecimento.

Como vê o papel da UA na evolução do sector?

A área do turismo da UA desempenha um papel central na evolução do setor. Na UA a formação é de excelência capacitando os seus alunos para os desafios do mercado de trabalho. A Investigação realizada é de referência e reconhecida em termos internacionais e nacionais. Os projetos de investigação aplicada desenvolvidos na UA e sua ligação ao território permitem a transferência de conhecimento para empresas e entidades públicas do setor. A sua participação na sociedade, transmitindo uma opinião informada com uma preocupação clara e orientada para o desenvolvimento da própria comunidade.

descrição para leitores de ecrã
"Rui Costa não dispensa o sorriso e um café no dia-a-dia."

IMPRESSÃO DIGITAL

Traço principal do seu carácter

Resiliência e boa disposição.

Ocupação preferida nos tempos livres

Bike …e acompanhar as minhas filhas nas suas atividades.

O que não dispensa no dia-a-dia

Sorrir…sempre… e um café. :)

O desejo que ainda está por realizar

Viajar um ano pelo mundo, e conhecer novos países e culturas.

imprimir
tags
outras notícias