conteúdos
links
tags
Entrevistas
Pessoas UA: Isaac Martins, estudante de Engenharia e Gestão Industrial
"Sonho associar a música à minha vida pessoal e profissional"
Isaac Martins
Cresceu em Miranda do Douro e ainda preserva a língua original. Tocou numa Filarmónica durante 10 anos, onde teve a sua formação musical. Desde novo que aprendeu sozinho a tocar vários instrumentos, já fez parte de algumas bandas. Recentemente é membro da jovem banda "Like I Can’t Go", constituída por estudantes da Universidade de Aveiro (UA) e é Vogal para as Atividades Académicas e Culturais da Associação de Engenharia e Gestão Industrial de Aveiro (AEGIA). Isaac Martins tem 19 anos e frequenta o curso de Engenharia e Gestão Industrial.

Para além de estudar na UA, está associado a alguma atividade?

Faço parte da Associação de Engenharia e Gestão Industrial de Aveiro (AEGIA) e tenho uma banda chamada "Like I Can’t Go" onde canto, toco guitarra e componho.

Qual o seu papel nesta Associação?

Representamos os estudantes de Engenharia de Gestão Industrial quer da Universidade de Aveiro e os Engenheiros do Distrito. Normalmente organizamos festas e jantares de curso. Sou vogal das atividades académicas e culturais. Este ano resolvemos inovar. Brevemente vamos ter uma semana cultural a acontecer em Aveiro. Vai acontecer desde no Avenida Café-Concerto, GrETUA e Centro Comercial Oita. O objetivo deste evento é dinamizar e chamar a atenção das pessoas sobre a cultura e a arte. Vai haver exposições espalhadas pela Universidade. A associação tem um conjunto de eventos desde: culturais, desportivos, saúde, mundo empresarial, social e ainda apoiamos uma criança o Duarte.

descrição para leitores de ecrã
O primeiro contacto com os novos alunos no dia das matrículas. Da esquerda para a direita: Ana Carolina Maia, Bárbara Ribeiro, João Ribeiro, Daniel Silva, João Resende e o Isaac Martins

Na banda qual o estilo de música que tocam?

Temos um estilo próprio, mas misturamos rock alternativo com hip-hop e R&B. Fazemos misturas desde Tom Mish a Arctic Monkeys, e Mac Miller a Highly Suspect. Cantamos em inglês pelas influências que temos.

O que o fascina nestas atividades?

A parte da Associação torna-nos muito responsáveis e profissionais. Todos os dias temos algo para fazer. Na banda é diferente, é mais tranquilo mas ao mesmo tempo cansativo porque chego a estar a ensaiar o dia todo, claro que é um cansaço saudável.

descrição para leitores de ecrã
Foto da esquerda representa a música "nobody" no SoundCloud, tirada na terra natal do Isaac. Foto da direita: The Arte of th Negotiation - Primeiro grande evento organizado pela AEGIA este ano onde Isaac está à direita com Gonçalo Queiroga à esquerda

Enquanto estudante, considera importante estar envolvido em atividades?

Sim. Estar na AEGIA foi algo que surgiu, foi momentâneo, não me arrependo de estar envolvido, faz-me bem enquanto ser humano e estudante. O facto de ter responsabilidade e de acordar com um objetivo, faz-me sentir bem.

Na banda desde muito cedo que compunha música e ultimamente comecei a partilhar no SoundCloud. Comecei a receber feedback muito bom e a banda surgiu. Tudo o que desenvolvi na Associação fez-me ser mais responsável na banda e levar tudo a sério. 

descrição para leitores de ecrã
Primeira sessão de estúdio da banda, na gravação do primeiro single, "Like I" no ESMAE, Escola Superior de Música Arte e Espetáculo no Porto. Foto tirada por Sérgo Albino

Sente que mudou após a integração nestas atividades?

Sim sem dúvida! O meu estilo de vida é completamente diferente e tenho as prioridades bem mais definidas. 

Há algum país que gostasse de conhecer? Porquê?

Inglaterra, por causa da banda. Ter uma banda em Inglaterra é mais "fácil", dá mais visibilidade e as pessoas dão mais importância. Em Portugal é apenas mais uma. Mas não é apenas na música, todo o meio artístico em Portugal ainda é visto com maus olhos, o que é algo triste.

Qual o seu lema de vida?

Dar sempre 100% em tudo. Devemos ser exigentes e tentar ao máximo dar o nosso melhor!

Numa única palavra como se define?

Criativo. Desenvolvo objetos que eu considero que são criativos.

Há alguma história que gostasse de partilhar?

O início da banda foi o acontecimento mais engraçado que me sucedeu. Nós somos cinco elementos na banda. Um deles cresceu comigo, mas não erámos amigos. Ele veio estudar para a UA. Num domingo estávamos os dois a vir para Aveiro e eu tinha lançado umas músicas recentemente e estávamos a ouvi-las. Ele comentou que estavam muito boas e foi dando umas sugestões de melhoria em termos de bateria e pensamos em tocar juntos. Falamos com mais dois colegas e no dia a seguir estávamos em minha casa à procura de uma garagem. Acabámos por encontrar uma escola de música e no dia seguinte começamos logo a ensaiar. Comecei a tocar uma música e eles conseguiram logo acompanhar-me. Sinto que foi bom e que resultou muito bem! Foi realmente incrível! A banda é recente. O primeiro concerto vai ser dia 1 de abril no Avenida Café-Concerto. Vamos lançar em breve músicas que vão estar disponíveis.

descrição para leitores de ecrã
Foto oficial da banda. Da esquerda para a direita sentados no sofá: Tomás Courela, Lucas Silva, Isaac Martins. Da esquerda para a direita na parte de cima do sofá: Nélson Ribeiro, Vasco Rodrigues. Todos estudantes da UA e de Engenharia Gestão Industrial

 A música sempre fez parte da sua vida?

Sim. Cresci a ouvir Arctic Monkeys, Kasabian, Gorillaz, Red Hot Chilli Peppers influenciado pelo meu irmão, era ele quem fazia as playlists do meu mp3. Ouvia também uma banda que toca em mirandês chamada "Galandum Galundaina" têm um estilo que me encanta. Comecei desde muito pequeno a tocar trompa numa Banda Filarmónica. Entretanto já toquei baixo, ukulele, gaita de foles, lira, xilofone, pratos, bombo, caixa e dava uns toques na bateria. Neste momento sou compositor, cantor, toco piano e guitarra. Já toquei um pouco de tudo.

Que sonho gostava de ver realizado?

Sonhava de ter sucesso na música. Poder estar na minha profissão e associar a música à minha vida pessoal. A música sempre fez parte de mim.

Um dia vou…

Tocar em grandes palcos.

________________________________________________________________________

A série #PessoasUA pretende mostrar as estórias e vivências das pessoas que fazem a comunidade UA. Se conhece alguém que deva estar aqui retratado, envie-nos uma mensagem para noticias@ua.pt com as suas dicas.

imprimir
tags
outras notícias