conteúdos
links
tags
Campus
Expedição internacional decorreu de 9 de setembro a 6 de outubro
Núcleo de Espeleologia da UA faz primeiro mergulho subterrâneo da história de Timor
Os cinco membros da equipa com elementos da comunidade local (Manuel Freire e Miguel Lopes estão em pé, respetivamente, com camisola branca e chapéu)
Cerca de um quilómetro de gruta mapeada em Maubice, no município de Ainaro, um mergulho subterrâneo em Baucau, a sensibilização da população para a poluição das águas e a continuação das actividades de formação em espeleologia. Estes são alguns dos avanços conseguidos pelos membros do Núcleo de Espeleologia da Universidade de Aveiro, Secção de Antigos Alunos, durante a expedição que integraram de 9 de setembro a 6 de outubro, em Timor-Leste.

Numa das grutas do sistema muito ramificado em subsolo de calcário coralífero, no município de Baucau, de onde é extraída a água que abastece a cidade com o mesmo nome, foi realizado o primeiro mergulho subterrâneo da história de Timor. Por motivos de obstrução, não foi possível mergulhar mais do que 60 metros nesta gruta designada Wai Lia Bere.

À entrada da gruta, contudo, o grupo deparou-se com um cenário que motivou alguma preocupação e levou a um alerta no encontro seguinte com responsáveis da comunidade local: a acumulação de resíduos na gruta que pode originar problemas de saúde pública. Segundo Manuel Freire e Miguel Lopes, ambos do NEUA e dois dos cinco membros da equipa que realizou a expedição, os responsáveis locais mostraram-se sensibilizados com o alerta e prontos a tomar medidas.

Neste sistema de Baucau, situado numa área de planalto, foi ainda explorada a gruta Wai Lia Mata. Em Ainaro, zona mais montanhosa que sobe a cerca de 900 metros, a equipa mapeou, no total, um quilómetro de gruta em dois troços.

Tratou-se de mais uma expedição, a terceira, no âmbito do projecto do “Projeto Timor Subterrâneo” – “Fatuk-Kuak hosi Timor Lorosa’e” - envolvendo ainda, para além do NEUA, o CEAE – Centro de Estudos e Actividades Especiais da Liga para a Protecção da Natureza, o CIES – Centro de Investigação e Exploração Subterrânea, o GPS – Grupo Protecção de Sicó e a JHN – Juventude Hadomi Natureza de Timor-Leste, em parceria com a UNTL – Universidade Nacional Timor Lorosa’e. O equipamento de mergulho foi fornecido pela Dreamers Dive Academy, de Timor.

“Fatuk-Kuak hosi Timor Lorosa’e” é um projeto internacional multidisciplinar, iniciado em 2016, com o objetivo de promover e desenvolver a espeleologia em Timor-Leste através da sistematização da investigação e estudo das grutas e cavernas, contemplando a formação de espeleólogos timorenses. O projecto decorre em parceria com a Universidade Nacional de Timor e com a organização local JHN – Juventude Hadomi Natureza de Timor-Leste.

Neste âmbito, um grupo de espeleólogos timorenses em formação, realizou o primeiro mapeamento de uma gruta pelos seus próprios meios e na sequência de fases de aprendizagem realizadas nas expedições anteriores.

imprimir
tags
outras notícias