conteúdos
links
tags
Distinções
Joana Grave, estudante de Doutoramento em Psicologia, ganha 3 mil euros
UA conquista Prémio Janssen Neuroscience RWE Award 2018
Joana Grave
Estudante do Programa Doutoral em Psicologia da Universidade de Aveiro (UA), Joana Grave é a vencedora do prémio Janssen Neuroscience RWE Award 2018 na categoria “Séries Clinicas”. O trabalho de investigação, que foi desenvolvido por Joana Grave, Sandra Soares, Sofia Morais, Paulo Rodrigues e Nuno Madeira, levou para casa 3000 euros.

“A atribuição deste prémio demonstra um interesse por parte da comunidade médica em explorar os processos subjacentes às dificuldades sentidas pelos doentes com Perturbação Psicótica nos domínios da atenção e do funcionamento social, assim como em investir em intervenções mais personalizadas”, congratula-se Joana Grave.

Instituído pela Janssen-Cilag Farmacêutica, o prémio tem por objetivo premiar trabalhos científicos em “real world evidence” de psiquiatria na área das Psicoses e da Esquizofrenia, com a finalidade de promover a investigação nestes domínios.

Com o título é "The effects of perceptual load in processing emotional facial expressions in psychotic disorders", o trabalho vencedor de Joana Grave pretende explorar a interferência de faces humanas no desempenho de uma tarefa de atenção em doentes com Perturbação Psicótica, como é o caso da Esquizofrenia, em comparação com pessoas sem diagnóstico de doença psiquiátrica.

De forma geral, explica a investigadora, “os doentes foram mais suscetíveis à interferência de faces humanas e, em particular, quando a tarefa era mais exigente”. Para além disso, as faces alegres interferiram significativamente mais do que as faces de raiva ou neutras.

“Os resultados são promissores e apontam para dificuldades no controlo da atenção e no processamento de expressões faciais. Estes achados podem ainda ajudar a compreender as Perturbações Psicóticas e a moldar as intervenções psicológicas”, aponta a investigadora que irá iniciar brevemente uma bolsa de doutoramento financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Para além de Joana Grave, também os investigadores Sandra Soares, Sofia Morais, Paulo Rodrigues e Nuno Madeira assinam o trabalho que contou, ainda, com a colaboração de médicos psiquiatras do Centro Hospitalar Baixo Vouga e do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.

Os resultados do estudo formam publicados em 2017 na revista Psychiatry Research.

imprimir
tags
outras notícias