conteúdos
links
tags
Distinções
Novos compostos possíveis anticancerígenos e novos marcadores
Investigadores da UA premiados em encontro científico de Química Orgânica
Djenisa Rocha e Samuel Guieu
Samuel Guieu, investigador do Departamento de Química, da unidade Química Orgânica e Produtos Naturais e Agroalimentares (QOPNA) e do CICECO-Instituto de Materiais de Aveiro, recebeu o prémio para a melhor comunicação oral em Química Orgânica, durante o 12º Encontro Nacional Química Orgânica e 5º Encontro Nacional Química Terapêutica, que se realizou em Coimbra de 17 a 19 de janeiro de 2018. Djenisa H. A. Rocha, atualmente bolseira no QOPNA, recebeu uma menção honrosa no concurso para a melhor tese de doutoramento em Química Orgânica 2017.

Samuel Guieu foi premiado pela sua comunicação oral “Organic fluorophores: synthesis, intrinsic properties, interactions and applications” sobre a preparação de fluoróforos orgânicos e o estudo da modificação das suas propriedades fotofísicas quando estes interagem com outras entidades, nomeadamente ciclodextrinas.

As dibenzalazinas são uma classe de fluoróforos que tem a particularidade de as bandas dos seus espetros de emissão aumentarem de intensidade quando se passa do estado “isolado”, em solução, ao estado agregado, nos sólidos. Este fenómeno também se observa quando os fluoróforos interagem com ADN, ou quando formam complexos de inclusão com ciclodextrinas. Os fluoróforos desenvolvidos têm aplicação, por exemplo, na marcação celular para estudos biológicos, e na deteção de poluentes em água.

Este trabalho foi desenvolvido em coautoria com os investigadores Susana Braga, Sérgio Santos, Artur Silva, João Rocha, Sandra Vieira e Francisco Cardona, no âmbito do projeto de pós-doutoramento de Samuel Guieu (SFRH/BPD/70702/2010), financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), e do projeto de investigação pAGE: Life-long protein aggregation (Centro-01-0145-FEDER-000003), financiado pelo Programa Mais Centro.

Metodologias novas e novos compostos anticancerígenos

Djenisa H. A. Rocha recebeu uma menção honrosa no concurso para a melhor tese de doutoramento em Química Orgânica 2017, nestes mesmos eventos científicos. O prémio é atribuído pela divisão de Química Orgânica da Sociedade Portuguesa de Química e patrocinado pela empresa farmacêutica Bial.

Esta distinção procura reconhecer o mérito científico dos doutoramentos realizados em instituições nacionais na área da Química Orgânica e destina-se a doutorados recentemente graduados.

A tese de doutoramento premiada intitula-se “Estudos de síntese e transformação de cromonas e 4-quinolonas” e foi realizada pela doutoranda no Departamento de Química (DQ) sob a orientação científica de Artur Silva e Diana Pinto, ambos membros do QOPNA e professores do DQ.

A referida tese de doutoramento permitiu o desenvolvimento de estratégias de síntese de novos compostos heterocíclicos de oxigénio e nitrogénio, usando fontes de energia alternativas como a irradiação micro-ondas e uma lâmpada de ultravioleta de alta pressão.

O trabalho permitiu a síntese de mais de 200 compostos sendo, pelo menos, 60 novos derivados. As estruturas dos compostos sintetizados foram inspiradas em produtos naturais, tais como flavonas, flavanonas, xantonas, quinolonas e acridonas, compostos largamente conhecidos pelas suas excelentes aplicações biológicas.

A tese da Djenisa Rocha foi premiada por ter sido considerada um importante contributo para a Química Orgânica, pelo desenvolvimento de novas metodologias de síntese e a síntese de um elevado número de compostos inovadores com aplicações previsíveis como anti-inflamatórios e anticancerígenos. 

imprimir
tags
outras notícias