conteúdos
links
tags
Entrevistas
Professora UA – Andreia Vitória, Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo
“Sejam solidários e cooperantes, proativos e conscienciosos”
Andreia Vitória
Especialista em gestão de recursos humanos, comportamento organizacional e liderança, é na partilha, nas relações, na aprendizagem mútua e nos afetos que Andreia Vitória faz dos estudantes amigos para a vida… e futuros profissionais altamente qualificados. Professora no Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo (DEGEIT) da Universidade de Aveiro (UA), não se cansa de lhes dizer que trabalhar em equipa, gerir o tempo, superar as adversidades e dar asas à criatividade são essenciais quer na vida, quer nas empresas.

Licenciada e mestre em Gestão e doutorada em Engenharia e Gestão Industrial, Andreia Vitória é há 4 anos professora no DEGEIT onde, neste ano letivo, leciona as unidades curriculares de Gestão de Recursos Humanos e de Comportamento e Liderança nas Organizações.

Membro da unidade de investigação em Governança, Competitividade e Políticas Públicas (GOVCOPP) da UA , a sua investigação envolve, principalmente, a gestão de recursos humanos, o comportamento organizacional e a liderança. Tem publicado em revistas da área, como a Leadership Quarterly e a International Journal of Human Resource Management, e participado em diversas conferências nacionais e internacionais.

Como qualifica a formação que é dada aos estudantes no DEGEIT?

A formação facultada aos nossos alunos permite-lhes a aquisição de uma base, sólida e eclética, de competências técnicas. Permite ainda que estes desenvolvam e aprimorem as denominadas soft skills, designadamente a capacidade de trabalhar em equipa, de gerir o tempo, de superar as adversidades (resiliência), a criatividade, o pensamento crítico, etc.

A combinação destas competências, torna os nossos alunos em elementos valiosos para as organizações, pois respondem às exigências do contexto organizacional atual.

Qual o segredo para se ser bom professor?

Na minha perspetiva ser professor é um exercício de humildade. Humildade no modo como encaramos os alunos, pelo que não creio que os devamos encarar com soberba, com altivez. Podemos ser mais proficientes em determinada área do conhecimento, mas não, certamente, em todas as áreas.

Humildade consubstanciada na constante disponibilidade para aprender. Só podemos ensinar melhor se não nos acomodarmos, se existir um esforço de aprendizagem contínua.  Estando igualmente certa de que aprendemos imenso com os alunos!

Humildade também no modo como estamos abertos às novas ideias, às críticas, às sugestões.

Ser professor é também um exercício de entrega. Entrega não só de conhecimento, de experiência… Mas também entendida como disponibilidade - para ajudar, para ouvir. Associada ao desejo genuíno de os ver ir mais longe, de os ver evoluir.

O que mais a fascina no ensino?

A partilha, as relações, a aprendizagem mútua, os afetos e amizades que perduram para além dos semestres letivos.

Que grande conselho dá aos alunos?

Sejam solidários e cooperantes, proativos e conscienciosos. Continuem sempre a aprender e a melhorar as vossas capacidades. E, acima de tudo, sejam felizes! Dentro dos vossos paradigmas. Cada um é (e deve ser) feliz à sua maneira.

Houve algum grupo de alunos que mais a tivesse marcado? Porquê?

Há alunos especiais, que ficam e/ou que não se esquecem. Tenho vários, pelo que me sinto uma felizarda! Todos eles(as) sabem quem são.

Pode contar-nos um episódio curioso que se tenha passado em contexto de sala de aula ou com estudantes?

Tive um aluno, em Gestão de Recursos Humanos, que frequentava um curso ligados às novas tecnologias. Protestava, em todas as aulas, referindo que a matéria não tinha qualquer utilidade para ele.  Vários meses depois recebi um email desse aluno, pedindo-me desculpas. Já se encontrava a trabalhar, detendo responsabilidade de gestão de uma pequena equipa. Percebeu que, de facto, os temas abordados possuíam utilidade prática.

descrição para leitores de ecrã
Qual é o segredo para se ser bom professor? Andreia Vitória garante que é pelo exercício da humildade que o professor pode marcar indelevelmente os alunos.

Traço principal do seu carácter

Quem me conhece melhor diz que sou teimosa e perfeccionista. Mas há também quem diga que sou disponível, afável e afetuosa…

Ocupação preferida nos tempos livres

Viajar, conhecer novas realidades, novos sabores. Viajar é ir apreendendo o mundo, conhecer as suas idiossincrasias. Enriquece-nos e ajuda-nos a sermos mais tolerantes

O que não dispensa no dia-a-dia

Acompanhar as rotinas das minhas filhas. É a nossa “maior” missão, mas também a mais complexa!

O desejo que ainda está por realizar

Uma viagem a um sítio especial...

imprimir
tags
outras notícias