conteúdos
links
tags
Distinções
Elisabete Figueiredo é a primeira portuguesa na Comissão Executiva da ESRS
Docente e investigadora da UA na Comissão Executiva da Sociedade Europeia de Sociologia Rural
Elisabete Figueiredo eleita membro da Comissão Executiva da ESRS
Elisabete Figueiredo, docente e investigadora da Universidade de Aveiro (UA), foi eleita como membro da Comissão Executiva da European Society for Rural Sociology (ESRS), a 25 de julho de 2017, por ocasião do XXVII Congresso desta sociedade europeia, em Cracóvia, Polónia. Este será o segundo mandato da docente da UA nesta qualidade.

A ESRS foi fundada em 1957 e é atualmente, com 60 anos, a única associação europeia que congrega cientistas sociais (europeus e não europeus) no estudo da agricultura e pescas, produção e consumo de alimentos, desenvolvimento rural, transformações do rural, ruralidade e heranças culturais, igualdades e desigualdades nas sociedades rurais, assim como no estudo da natureza e proteção ambiental em meio rural.

Esta Sociedade tem como objetivos principais o estímulo e a promoção do desenvolvimento da sociologia rural; o estímulo e aprofundamento de relações entre os sociólogos e outros cientistas sociais com interesse nas questões rurais; a promoção da cooperação internacional e a troca de informação e experiência no domínio da investigação em sociologia rural. São ainda objetivos da ESRS constituir-se como um fórum de discussão, sobre as transformações das sociedades rurais na Europa e o encorajamento da formação de jovens cientistas sociais no domínio das questões rurais.

Elisabete Figueiredo, docente e investigadora do Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território da UA, é membro da ESRS desde 2003 e é, atualmente, membro do Research Study Group sobre a Europa do Sul e Mediterrânica.

Foram igualmente eleitos para a Comissão Executiva da ESRS, Sally Shorthall (Universidade de Newcastle, Reino Unido), como presidente; Maria Jesus Rivera (Universidade do País Basco, Espanha), como vice-presidente; Joost Dessein (ILVO – Instituto para a Investigação em Agricultura e Pescas, Bélgica); Pierluigi Milone (Universidade de Perugia, Itália) e Lukas Zagata (Universidade de Ciências da Vida, República Checa).

imprimir
tags
outras notícias