conteúdos
links
tags
Campus
UA homenageia um dos mais importantes químicos europeus
Doutoramento Honoris Causa atribuído a Paul O´Brien
Júlio Pedrosa, Paul O''Brien e Manuel António Assunção
Fundador e professor da Escola de Química da Universidade de Manchester, Paul O’Brien, um dos mais eminentes químicos europeus na área dos materiais, recebeu o Doutoramento Honoris Causa pela Universidade de Aveiro (UA). Fellow of the Royal Society, a mais importante distinção que um cientista pode receber no Reino Unido, e membro da Academia Europeia de Ciências, Paul O’Brien foi distinguido a 4 de maio pela academia de Aveiro. A cerimónia contou com a presença de Manuel António Assunção, Reitor da UA, Júlio Pedrosa, antigo Reitor da academia e padrinho do Honoris, e José Ferreira Gomes, secretário de Estado do Ensino Superior.

“A atribuição de um grau Honoris Causa representa um reconhecimento pelas excecionais qualidades e níveis de realização atingidos pelo homenageado”, começou por apontar Manuel António Assunção, Reitor da UA, durante a sessão. “Mas não deixa de conter, ao mesmo tempo, algo onde a própria instituição se revê. Não deixa nunca de ser um espelho no qual a UA se gosta de mirar. O título que hoje entregamos é especialmente feliz nesse aspeto porque o galardoado tem no seu percurso de vida muitos elementos que refletem o próprio caminhar da UA nestes seus pouco mais de 41 anos de existência”, sublinhou Manuel António Assunção.

Desde logo, apontou o Reitor, “a importância dada à investigação, a dedicação à pesquisa de qualidade, que foi assumida desde muito cedo como pedra basilar de um projeto, em Aveiro, que se instalava fora dos grandes centros urbanos e a curta distância, para norte e para Sul, de duas das mais prestigiadas instituições universitárias portuguesas”.

Para mais, “a enorme reputação científica do Professor O'Brien foi obtida naquela que é uma das nossas áreas bandeira e em que temos conseguido granjear maior reconhecimento no estrangeiro e cá dentro: a ciência e engenharia dos materiais”. O Reitor lembrou que, “no recente exercício de avaliação pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, são do domínio dos Materiais as nossas duas Unidades de Investigação que obtiveram as melhores marcas: uma, classificada de Excecional,  e a outra [o CICECO da UA], ficando isoladíssima à frente de todas as Excelentes, só o não foi por manifesta miopia -para lhe não chamar coisa pior- de quem tinha a responsabilidade do processo”. Foi exatamente através do CICECO, apontou Manuel António Assunção, que O'Brien “mais exerceu a sua longa e forte associação profissional e afetiva ao Departamento de Química e à UA".

O Reitor, não deixou também de referir “o espírito empreendedor” do novo Honoris Causa bem como os seus esforços para a divulgação da ciência, missões que a UA tem também como prioridades.

Cientista de referência internacional

Aos 61 anos de idade, Paul O’Brien é autor de mais de 500 artigos em revistas do Science Citation Index, num enorme trabalho voltado essencialmente para a Ciência dos Materiais e Química, com foco no desenvolvimento de novos métodos químicos para a síntese de materiais, e já foi galardoado com inúmeros prémios em reconhecimento pela sua brilhante atividade científica.

Com um forte ligação e longa ligação profissional e afetiva ao Departamento de Química (DQ) da UA, Paul O´Brien foi um dos primeiros colaboradores de Júlio Pedrosa. Da ligação à UA, destaque ainda para o facto de O´Brien ter integrado os Internacional Advisory Board da antiga unidade de Química Inorgânica e de Materiais e integrar, atualmente, o mesmo grupo de conselheiros do CICECO - Aveiro Institute of Materials.

Proposto, de resto, pelo DQ e pelo CICECO para receber a distinção, as duas instituições da UA apontam O´Brien como “um académico íntegro, de perfil completo e de enorme reputação científica” que deixou “uma marca indelével” nas duas entidades da academia para que hoje estas se tenham afirmado no panorama internacional.

“Um professor Universitário tem um leque de responsabilidades e de apelos que é muito difícil de conciliar, já que àquelas missões frequentemente se acrescentam atividades institucionais de gestão e governança”, referiu Júlio Pedrosa apontando para Paul O´Brien, “um exemplo notável de realização competente de tão diverso e exigente leque de funções”.

Colegas desde há 40 anos – conheceram-se nos laboratórios de investigação de Química Inorgânica do University College Cardiff – Júlio Pedrosa lembrou não só o “brilhante percurso académico” de O´Brien como as respetivas conquistas enquanto empreendedor, químico, engenheiro e consultor para as áreas da governação e investigação universitária.

Com efeito, lembrou Júlio Pedrosa, O’Brien tem mais de 600 publicações científicas registadas, é fundador da Nanoco, uma empresa que visa a produção de nanomateriais a pensar, principalmente, na indústria electrónica, foi convidado um pouco por todo o mundo para participar em painéis de avaliação de atribuição de financiamento para a investigação, liderou “complexos e difíceis projetos institucionais” e é um exemplar promotor e divulgador de ciência para o grande público.

“A UA é uma academia de sucesso, pioneira e que muito tem crescido nos últimos 40 anos para se tornar competitiva internacionalmente. Criou uma nova cultura, temos novas instalações. Estou contente por ter um pequeno contributo neste sucesso"”, afirmou Paul O´Brien que, ao longo da intervenção, recordou que tem acompanhado o crescimento da academia desde que esta nasceu.

imprimir
tags
outras notícias