conteúdos
links
tags
Cultura
Armando Nascimento Rosa, autor de “Duas peças com História(s)”, foi o contemplado
I Prémio Aldónio Gomes entregue no 39º aniversário da UA
Armando Nascimento Rosa, contemplado com o Prémio Literário Aldónio Gomes
A Universidade de Aveiro (UA), através do seu Departamento de Línguas e Culturas, criou, em outubro de 2011, o Prémio Literário com o nome de Aldónio Gomes, insigne pedagogo, grande estudioso e divulgador da língua portuguesa e das literaturas africanas de língua portuguesa. O galardão instituído pela academia aveirense vai ser entregue ao dramaturgo Armando Nascimento Rosa, na cerimónia comemorativa do 39º aniversário da UA, que se assinala a 17 de dezembro, pelas 15h00.

Além de honrar a memória desta personalidade ímpar, que doou o seu espólio à Universidade, o Prémio Literário Aldónio Gomes pretende estimular a criação literária e a revelação de novos autores.

Revelado em março deste ano, o galardão distinguiu a obra “Duas peças com História(s)”, que inclui “O livro de Simão de Sagres” e “Duas mulheres e um teatro”. As duas peças enquadram-se numa lógica de trabalho que, segundo o autor, “procura trazer, à luz da cena, personagens, mitos, episódios que, pertencendo a um património comum, não ganharam visibilidade particular, mas de modo a que essa recuperação histórica possa ganhar pertinência para falar de nós e faça sentido na sociedade contemporânea”. Ou seja, “mostrar como o teatro nos pode fazer refletir acerca do presente, através de episódios do passado”. O autor premiado verá a sua obra publicada e receberá 20 por cento dos proveitos da edição.

Armando Nascimento Rosa (Évora, 1966), dramaturgo, ensaísta e criador musical, é autor de mais de vinte obras dramáticas, algumas delas premiadas com diversas distinções. Tem peças traduzidas em inglês, espanhol, francês e sérvio, na sua maioria já publicadas em livro e com encenações e/ou leituras encenadas em Londres, Madrid, Nova Iorque, Zurique, São Paulo, Nova Orleães e Ítaca (EUA). Doutorado em Estudos Portugueses, pela Universidade Nova de Lisboa, é professor na Escola Superior de Teatro e Cinema do Instituto Politécnico de Lisboa, desde 1998.

Aldónio Gomes: divulgador da língua e cultura portuguesas

Licenciado em Filologia Clássica, Aldónio Gomes (1926-2011) foi professor, diretor da Telescola, Secretário de Estado dos ensinos básico e secundário nos II e V governos constitucionais e autor de numerosos livros, nas áreas das literaturas africanas de língua portuguesa, da formação de professores e do ensino da língua portuguesa. Neste domínio da divulgação da língua e suas particularidades, merecem igualmente destaque os programas televisivos e radiofónicos de sua autoria “Lições de Português” (RTP 1, 1971-1975), “A falar e que a gente se entende” (RTP 1, 1979), “Abóboras no telhado” (Rádio Comercial, 1992) e “Como disse?” (Programa Acontece, RTP 2, 1999-2003).

Como consultor da Fundação Calouste Gulbenkian, cargo que desempenhou entre 1985 e 1995, coordenou o Projeto de Expansão e Melhoria Qualitativa do Ensino da Língua Portuguesa. Nessa qualidade, dinamizou a reformulação dos programas de ensino, a formação de professores e a elaboração de manuais escolares, de todos os níveis de ensino, nos países africanos de língua portuguesa. Profundamente inovador nas práticas propostas, este projeto consubstanciou-se em cinco subprojetos distintos, correspondendo às expectativas dos países e garantindo a articulação vertical das aprendizagens da língua portuguesa, nas suas vertentes utilitária e literária, tendo sempre em linha de conta a literatura do país e as outras literaturas em língua portuguesa.

Nas suas missões pelos PALOP, Aldónio Gomes adquiriu muitos livros de literatura desses países, que constituem o valioso espólio doado à UA, a 21 de março de 2012.

 

imprimir
tags
veja também
 
evento relacionado
 
outras notícias