conteúdos
links
tags
Cultura e Desporto
Exposição internacional inaugurada com debate na UA
A armadilha do termo “tolerância”
Debate sobre tolerância inaugurou a exposição sobre o tema: participam Miguel Oliveira, Carolina Santos, Rosa Madeira (a intervir, na foto) e Godelieve Meersschaert
Devemos mesmo ser tolerantes em relação às diferenças dos nossos semelhantes? A armadilha do termo tolerância, que está relacionado com relações de poder, foi um dos temas do debate que assinalou a inauguração da exposição internacional de cartazes “The Tolerance Travelling Poster Show”, na galeria multifunções do Espaço Viver a UA, na Universidade de Aveiro.

Apesar de comummente usado para designar convivência pacífica e frutuosa entre diferentes que são todos seres humanos, o termo tolerância encerra em si relações de poder. A questão foi levantada por Rosa Madeira, professora do Departamento de Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro (UA) e membro da Rede de Ensino Superior para a Mediação Intercultural.

A professora da UA é defensora de que o debate e a discussão sobre estas temáticas expõe diferentes modos de estar na vida e contribui para a convivência sem descriminações.

Alguém que tolera o outro coloca-se, implicitamente, numa situação de aceitação com reservas, sentindo-se com mais poder que o outro para lhe estabelecer fronteiras, a partir das quais surge a intolerância. A verdadeira aceção do termo difere da convivência de igual para igual, onde ambos não escondem as suas diferenças sociais, de pele, de etnia, na língua, entre outras, alertou Godelieve Meersschaert, membro do Conselho Geral da UA, com intervenção na Associação Cultural Moinho da Juventude (Cova da Moura), incomodada com o verdadeiro significado do termo.

Exemplos da Cova da Moura e do Bairro de Santiago

O trabalho de apoio social e valorização realizado, sobretudo, pela Associação Cultural Moinho da Juventude na Cova da Moura, que foi durante décadas uma comunidade estigmatizada com episódios recorrentes de insegurança, foi apresentado como um invulgar caso de sucesso. A participação dos investigadores da UA e do Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md), em articulação com a Associação local, foi determinante na candidatura, bem-sucedida, da prática performativa cabo-verdiana Kola San Jon ao Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial.

As ações desenvolvidas e assentes na convivência entre as 11 nacionalidades presentes no Bairro de Santiago, Aveiro, a partir do Laboratório Cívico ali criado em 2019, constituíram um exemplo apresentado por Carolina Santos, promotora daquele Laboratório e técnica superior de Educação Social nas Florinhas do Vouga, instituição de solidariedade social.

A moderação do debate entre Rosa Madeira, Godelieve Meersschaert, Carolina Santos e os participantes da assistência foi entregue a Miguel Oliveira, coordenador do Gabinete de Apoio ao Estudante Internacional da UA.

UA multicultural

À questão levantada por Rosa Madeira sobre as medidas que têm sido adotadas para promover a UA como comunidade multicultural, a Vice-reitora Alexandra Queirós, na assistência, referiu o trabalho desenvolvido pelo Centro Local Apoio à Integração de Migrantes (CLAIM), acolhido no próprio campus, pelo Gabinete de Relações Internacionais e no espaço UA_Intercultural (UA-I), destinado à interculturalidade e aos estudantes estrangeiros.

Têm vindo a ser realizadas várias atividades com o propósito de melhor integrar a comunidade internacional. Neste conjunto incluem-se: os passeios de moliceiro, visitas ao museu de Aveiro, jantares interculturais, saraus interculturais, gastronomia tradicional dos diversos países representados na UA, feiras do livro, celebração de dias comemorativos-celebrativos que muito dizem a diversas comunidades como é o caso do Yalda, por exemplo, organização da Ceia de Natal multicultural na noite de Natal, passeios de bicicleta pela via ecológica ciclável, exposições diversas como de artesanato ou fotografia - entre outras, organização de semanas temáticas dedicadas aos diversos países ou continentes com múltiplas e distintas atividades, aulas abertas em torno de temáticas relacionadas com a diversidade e interculturalidade, criação de um coro intercultural, atividades desportivas como torneios de futsal e outros.

Para além destas atividades, a Vice-reitora referiu ainda a preparação de novas ações destinadas, não apenas aos estudantes internacionais que chegam (e suas comunidades), mas também dirigidas à cidade, dando a conhecer a diversidade que existe na UA.

Este ano, pela primeira vez, estão a ser realizadas no UA-I, desde o início do mês de setembro, sessões de acolhimento para os estudantes estrangeiros, independentemente do tipo de acesso e no nível de ensino. Foi elaborado um Guia do Estudante Internacional, em formato digital, que está a ser partilhado por todos os novos estudantes, e esta iniciativa tem contribuído de forma efetiva para um melhor acolhimento, explica Alexandra Queirós.

A 06 de novembro terá lugar a sessão formal de acolhimento dos novos estudantes internacionais e de mobilidade no Centro Cultural e de Congressos, no âmbito do protocolo assinado entre a UA, Câmara Municipal de Aveiro, Associação Académica da UA (AAUAV) e Erasmus Student Network (ESN).

Debates em Águeda e Ílhavo

Entretanto, dia 11 de outubro estão previstos dois debates, um em Águeda, outro em Ílhavo. “Engolir Sapos” é o tema do debate às 17h00, na Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré.

Em Águeda há um “Percurso da Tolerância” que começa às 18h30, na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda (ESTGA), e termina com o debate “Tolerância e Violência Doméstica”, na Biblioteca Municipal Manuel Alegre.

Estes e o debate que decorreu na galeria multifunções do Espaço Viver a UA surgem no contexto da exposição itinerante “The Tolerance Travelling Poster Show”, em vários locais da região, de 9 a 29 de outubro. Trata-se de uma parceria entre a Universidade de Aveiro e os municípios de Águeda, Aveiro, Ílhavo e Oliveira de Azeméis.

A exposição itinerante de cartazes “The Tolerance Travelling Poster Show” é parte integrante do “The Tolerance Project". Mostram-se pósteres de designers e artistas de vários pontos do mundo com a palavra "Tolerância" no seu idioma local. A exposição já esteve presente em 24 países e em cada paragem recebe contribuições de artistas locais, aumentando o seu acervo. A UA e a Design Factory Aveiro, em parceria com os municípios de Águeda, Aveiro, Ílhavo e Oliveira de Azeméis recebem esta exposição.

Duração da exposição: 

de 09 a 29 de outubro 

Locais da exposição:

Galeria multifunções do Espaço Viver a UA. Universidade de Aveiro

Design Factory Aveiro, PCI Creative Science Park 

Biblioteca Municipal de Aveiro

ESTGA e Biblioteca Municipal Manuel Alegre 

Casa da Cultura de Ílhavo 

Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré

ESAN e Garagem Justino em Oliveira de Azeméis 

 

Mais informações: https://www.ua.pt/tolerance/

imprimir
tags
outras notícias