conteúdos
links
tags
Campus
UA distinguida com “Marca Entidade Empregadora Inclusiva” pela segunda vez
UA marcou presença na cerimónia de entrega da Marca Entidade Empregadora Inclusiva
Pela segunda vez consecutiva, a Universidade de Aveiro (UA) foi distinguida com a “Marca Entidade Empregadora Inclusiva”, atribuída a entidades que reconhecem os seus trabalhadores como pessoas únicas na sua diversidade, destacando-se pelo seu envolvimento na promoção da empregabilidade e da não discriminação das pessoas com deficiência.

Na candidatura da UA apresentada em 2019 fez-se referência a adaptações mais recentes, como as realizadas no auditório Renato Araújo, edifício da Reitoria, garantindo o acesso ao palco e espaço na plateia para pessoas com mobilidade reduzida, e ainda às adaptações feitas nos auditórios do Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo (DEGEIT).

Melhoramentos anteriores (https://www.ua.pt/pt/noticias/0/51602) também não foram esquecidos. Foi o caso do piso tátil que liga entre si grande parte dos edifícios do campus universitário; das rampas de acesso para cadeiras de rodas, as intervenções nos sanitários, a adequação de portas de entrada dos edifícios, a instalação de plataformas elevatórias, a reserva de lugares de estacionamento e o alojamento adaptado são apenas alguns dos exemplos mais visíveis do empenho que a UA tem tido em ser uma verdadeira universidade para todos. Entre vários outros tópicos, destacam-se as condições criadas com o Serviço de Apoio aos Utilizadores com Necessidades Especiais (SAUNE) nos Serviços de Biblioteca, Informação Documental e Museologia (SBIDM), nomeadamente a existência de gabinetes com equipamentos e software pensados para utilizadores com dificuldades visuais e motoras.

Para além das questões de acessibilidade a UA tem vindo também a trabalhar no domínio da empregabilidade das pessoas com deficiência ou incapacidade. Nesta área, a UA tem acolhido novas pessoas, mas tem dado também oportunidade para que os seus funcionários tenham acesso a progressão profissional e a ações de formação continua. Através da celebração de protocolos e parcerias com outras entidades e instituições, a UA tem participado em projetos e realizado atividades ocupacionais que visam o desenvolvimento das qualificações de pessoas com deficiência e incapacidade, contribuindo para lhes proporcionar oportunidades de vida num ambiente inclusivo.

"Motivo de orgulho" para a UA

Esta distinção do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) é atribuída de dois em dois anos aos empregadores que contribuam para um mercado de trabalho inclusivo e se distingam, por práticas de referência, nos dois anos anteriores ao da candidatura, em diversos domínios: recrutamento, desenvolvimento e progressão profissional, manutenção e retoma do emprego, acessibilidades, serviço e relação com a comunidade.

A “Marca Entidade Empregadora Inclusiva” pressupõe apreciação por um júri constituído por representantes das associações empresariais, sindicais, organizações da economia social, organizações de entidades que apoiam pessoas com deficiência e da administração pública.

“Esta distinção é muito importante e um motivo de orgulho”, considera Alexandra Queirós, Vice-reitora com o pelouro das Políticas para a Cultura e a Vida nos Campi. A Vice-reitora salienta que a distinção, “reconhece o percurso que a UA tem vindo a fazer nos domínios da inclusão e da igualdade, quer em termos da melhoria dos espaços, quer na adaptação dos locais de trabalho e das tarefas às necessidades dos seus trabalhadores e às suas circunstâncias, bem como na integração de pessoas com deficiência e incapacidade, valorizando-as enquanto profissionais”.

O prémio será entregue a 9 de dezembro em local a indicar.

imprimir
tags
outras notícias