conteúdos
links
tags
Conferências
Fórum de Ensino e Aprendizagem@UA | Teaching & Learning Forum@UA decorreu a 18 de junho
A frescura de uma nova estratégia de ensino e aprendizagem para a UA
No Fórum Ensino e Aprendizagem@UA foi apresentada a nova estratégia da UA nesta área
Uma nova estratégia de ensino e aprendizagem foi apresentada e debatida na comunidade académica da Universidade de Aveiro a 18 de junho, no Fórum de Ensino e Aprendizagem@UA | Teaching & Learning Forum@UA. Um dia antes da conferência “Bolonha – 20 anos depois”, o Reitor, Paulo Jorge Ferreira, desafiava a comunidade, na sessão de abertura, para uma iniciativa que se pretendia diferente, apelando ao “pensamento estratégico, à reflexão sobre o futuro e como a comunidade académica se poderá reorganizar”.

“Os desafios enormes que se colocam às universidades”, enquadrava o Reitor, devem-se a uma combinação de vários fatores que passam pela internacionalização, pela necessidade crescente de formação ao longo da vida, pela abertura às vias profissionalizantes e artísticas e pela importância crescente das realidades interdisciplinares. A comunidade diversificada, caraterística das universidades no atual mundo globalizado, apresentam, desde logo, um desafio para a transmissão de conhecimento, acrescentou Paulo Jorge Ferreira, assim como propostas de ciclos de estudos mais curtos do que os que se discutiam há 20 anos, com a Declaração de Bolonha.

Na sessão de abertura, o Reitor garantiu que a UA continuará empenhada nestas reflexões sobre “os desafios de hoje e as respostas de amanhã, apelando à participação de todos”, ou seja, de toda a comunidade.

A proposta da nova estratégia para o ensino e aprendizagem na UA, apresentada pela Pró-reitora Sandra Soares (responsável pela Inovação curricular e a internacionalização da formação dos 1º e 2º ciclos) no segundo painel da manhã, assenta em quatro “alicerces” que devem ser trabalhados em conjunto. Nestes “alicerces” incluiu o bem-estar (acolher e integrar bem os estudantes, em ambientes informais e que promovam o contacto social), a personalização (no sentido de ir ao encontro das necessidades e motivações dos estudante, dentro e fora da sala de aula), as lógicas colaborativas (fundamentais para uma maior autonomia e facilitadoras da aquisição de competências transversais) e a avaliação, como forma de validar as práticas e ações desenvolvidas.

Interdisciplinaridade, interculturalidade, inovação e responsabilidade social

Condições inerentes ao processo educativo, a oferta formativa, os espaços de aprendizagem, as práticas pedagógicas e o desenvolvimento de competências transversais, concorrem para quatro dimensões assumidas como objetivos que visam alcançar o desenvolvimento integral dos estudantes e respetivo comprometimento na academia. A saber: a interdisciplinaridade, facilitada pela organização matricial da UA; a interculturalidade, capitalizada pelo aumento crescente de públicos internacionais na UA mas também pela mobilidade outgoing dos nossos estudantes, docentes e staff; a inovação, com um cada vez maior e mais precoce enfâse na articulação entre ensino e aprendizagem; e a responsabilidade social, com práticas que permitam equipar os cidadãos para os desafios da sociedade.

A metodologia passa, explica Sandra Soares, por envolver a comunidade neste processo e implementar e avaliar experiências-piloto que, devidamente validadas, poderão ser disseminadas por toda a academia.

A frescura do EduPark

A importância da frescura nas práticas pedagógicas foi realçada também noutra apresentação do painel da manhã, pela investigadora Lúcia Pombo, coordenadora do projeto EduPark, candidatura da UA vencedora do ECIU Team Award for Innovation in Teaching and Learning, prémio da European Consortium of Innovative Universities (ECIU). Mais informações sobre o projeto EduPark: https://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?lg=pt&c=56061

Durante a manhã foram ainda apresentados exemplos de estratégias de outras instituições de ensino superior. Isabel Pereira, diretora da Unidade de Ensino à Distância e pró-presidente do Instituto Politécnico de Leiria, e Raquel Aires-Barros, presidente do Conselho Pedagógico do Instituto Superior Técnico apresentaram exemplos das respetivas instituições.

Durante a tarde, decorreram cinco workshops, em salas especificamente selecionadas que, pelas suas características diferenciadoras, propiciam ambientes inovadores e facilitadores de aprendizagens. Destes workshops, todos com elevada participação, resultaram propostas sobre as diferentes ações a implementar na UA: Avaliação de Aprendizagens, Competências Transversais, Espaços e Ambientes de Aprendizagem, Inovação Curricular e Práticas Pedagógicas. Mais informação: https://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?lg=pt&c=59243

As fotos do evento estão disponíveis: https://photos.app.goo.gl/NQ6cZY7FSnXKbrmEA

As intervenções podem ser visualizadas em vídeohttps://www.youtube.com/watch?v=3Exby7rhVjc&fbclid=IwAR2yzmnfIdWMDJdopm4d0q3YR4IkIJH01V-ldXunQuq9LLtodzChz5buQhE

imprimir
tags
outras notícias