conteúdos
links
tags
Desporto
Prova decorre na Motorland, Espanha, de 3 a 7 de outubro
Estudantes de Engenharia Mecânica da UA concebem mota para a prova Moto Student 2018
Equipa Motochanics, da UA, versão 2018, com o Prof. António Bastos e o técnico superior Ricardo Beja (os dois na ponta direita)
Uma mota que é um protótipo do tipo Moto 3, com um depósito inovador, bom desempenho aerodinâmico e ergonómico, estrutura otimizada para velocidade, vai representar a Universidade de Aveiro (UA) na prova Moto Student deste ano. É a segunda participação dos estudantes da UA nesta prova na Motorland, Aragão. De Portugal, apenas outra equipa, do Instituto Superior Técnico, estará presente, para além da Motochanics da UA.

Resultado do trabalho já iniciado há dois anos, em que a equipa Motochanics conseguiu um honroso sétimo lugar com o seu desempenho na vertente inovação e desenvolvimento tecnológico, e do mais recente esforço e empenho de estudantes de Engenharia Mecânica (DEM), de Design e de Engenharia Eletrónica e Telecomunicações eis que surge a Moto 3 da UA, versão 2018.

A equipa da UA, em 2016, não chegou a participar na corrida que vale 150 dos 1000 pontos de toda a prova. Mesmo assim, conseguiu o melhor resultado de sempre de uma equipa estreante.

O atual grupo da UA está consciente que o orçamento, embora muito superior ao conseguido na primeira participação, fica muito aquém das centenas de milhar de euros das equipas de topo patrocinadas por grandes marcas. “Há equipas que participam na prova com motos em carbono, cuja conceção do quadro, usado unicamente para este fim, deve rondar os 50 mil euros, muito acima do orçamento que nós conseguimos para a nossa participação”, explicam Rodrigo Franco e Pedro Domingues, estudantes de Engenharia Mecânica e dois dos nove membros que seguem na noite de 3 para 4 de outubro para Aragão.

No entanto, a Rodrigo, Pedro e aos restantes membros da equipa move-os o gosto pelas motas e não só. Vão com o brilho nos olhos de quem passou nos testes feitos, dará o seu melhor em todas as facetas desta prova para estudantes de tecnologia e lutará pelos 1000 pontos. Com a ajuda de André Sousa, piloto com experiência em competições nacionais com origem em Oliveira de Azeméis.

António Bastos, professor do DEM que acompanha os trabalhos da equipa desde a sua primeira participação, destaca o extraordinário exercício de aplicação dos conhecimentos adquiridos no curso: “É muito difícil conciliar a necessária redução de peso na estrutura e em todos os componentes com resistência mecânica que um veículo destes deve ter. Passar do modelo em computador para o real é um exercício difícil para um estudante, ainda mais tratando-se de um trabalho com exigências tão específicas quanto este”.

Para além da equipa da UA, que participa na vertente de motores a combustão, Portugal estará representado na prova ainda por uma outra do Instituto Superior Técnico que participará na modalidade de motores elétricos.

imprimir
tags
evento relacionado
 
outras notícias