conteúdos
links
tags
Conferências
Victor Gil
UA presta homenagem ao seu primeiro Reitor com conferência sobre “Honestidade Intelectual”
Victor Gil
No dia 24 de outubro, o Conselho de Ética e Deontologia da UA (CED-UA) organiza uma conferência de homenagem em memória de Victor Gil, primeiro Reitor e antigo presidente deste Conselho. “Honestidade intelectual” é o tema da conferência, que tem início agendado para as 15h00, no Auditório Renato Araújo, no Edifício Central e da Reitoria.

“Honestidade intelectual” foi um dos temas que o primeiro Reitor da UA e antigo Presidente do CED-UA, falecido em maio deste ano, vinha a dedicar grande interesse com vista à sua discussão no seio da UA, incluindo o e-plágio nos subsistemas de ensino secundário, superior e investigação científica. A sua participação institucional no “Fórum sobre Honestidade Académica” realizado na Universidade da Beira Interior em abril e a preparação de um documento de reflexão sobre o assunto assinalam as suas preocupações no âmbito da análise e aprofundamento desta problemática.

Dado o seu inesperado falecimento (recorde o elogio fúnebre proferido por Maria Luisa Ramos, investigadora auxiliar com agregação da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra), o CED-UA aprovou, na reunião plenária de 11 de Julho, a realização deste evento na linha das Tertúlias bi-anuais já organizadas sobre temas relativos à Ética na sua relação com a vida académica, científica e cultural.

Com esta sessão o Conselho de Ética e Deontologia da Universidade de Aveiro assume o interesse social e académico de promover o debate sobre este tema na sua relação com a aprendizagem/educação nos domínios do ensino secundário e ensino superior, bem como na investigação científica. Ao fazê-lo deseja prosseguir o aprofundamento e reflexão deste assunto em torno da vivência diária da academia; da recolha de informação sobre a cultura dominante com vista à superação de falhas existentes e da sua prevenção no meio universitário.

Tal está de acordo com a missão fundamental da Universidade em “criar conhecimento e expandir o acesso ao saber em benefício das pessoas e da sociedade” num mundo em constante mudança tecnológica, social e cultural; de promoção e debate sobre a tradição e as exigências de formação universitária, nomeadamente as que respeitam à prática e investigação científica e ao envolvimento da comunidade no exercício de boas práticas relacionadas com a honestidade intelectual e o e-plágio.

 

A iniciativa toma como referência o testemunho de João Carlos Paiva, antigo aluno e colaborador do Professor Victor Gil, ao referir que “o problema da honestidade intelectual na universidade supera a categoria das palavras e das ideias: é uma ontologia, à qual se pode associar uma vida. Uma vida simples, mas profunda, intelectual, mas humanizante, com as suas fragilidades, mas plena de sabedoria”. Desta forma, as intervenções terão em conta “o cruzamento dos traços científicos, académicos, éticos, vivenciais, existenciais e filosóficos que afloraram ao longo de muitos anos de convívio estreito pelo saudoso amigo e mestre, Professor Victor Gil”.

A conferência abre com uma reflexão do Reitor da UA sobre o tema em destaque, prosseguindo com intervenções de vários professores universitários com experiência diversificada nos domínios da gestão académica e universitária, da investigação científica e da convivência institucional com o homenageado.

Com entrada livre e aberta a toda a comunidade universitária, pretende-se que a participação da academia ofereça um contributo para a discussão deste tema no seio da Universidade de Aveiro e da sociedade portuguesa, incentivando o seu aprofundamento por parte do CED em colaboração com outros órgãos da UA.

 

Programa

Abertura

- Paulo Jorge Ferreira, Reitor da UA

Intervenções:

- João Carlos Paiva, Professor Associado c/ Agregação da Universidade do Porto e antigo aluno de Victor Gil

- Manuel António Assunção, Professor Catedrático e antigo Reitor da UA

- António Coutinho, Professor Catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa; membro do Conselho de Gestão do Instituto Gulbenkian de Ciência

Moderação:

Isabel Alarcão, Professora Catedrática e antiga Reitora da UA

 

António Coutinho (Ascendência familiar em Rocas do Vouga e em Beduído), concluiu a Licenciatura em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, em 1969, e em 1974 recebeu os graus de Doutor em Microbiologia Médica e de docente em Imunologia pelo Instituto Karolinska, da Suécia.

Investigador do Instituto de Imunologia de Basileia, na Suíça, entre 1975 e 1979, foi nomeado professor e diretor do Departamento de Imunologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Umea, na Suécia, cargo que exerceu entre 1979 a 1984.

Em 1980 integrou os quadros científicos do Centro Nacional de Investigação Científica francês III (CNRS), para criar a Unidade de Imunobiologia no Instituto Pasteur em Paris, que dirigiu de 1982 a 1998, como diretor de Investigação do CNRS e professor do Instituto Pasteur, tendo exercido o cargo de diretor do Departamento de Imunologia entre 1991 e 1994. Foi ainda professor visitante no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e na Universidade de São Paulo, tendo sido eleito professor de Patologia Geral da Universidade de Geneva (1982) e nomeado professor de Imunologia na Faculdade de Medicina da Universidade de Lund (1987), cargos que não chegou a ocupar. Dirigiu o Instituto Gulbenkian de Ciência, de 1998 a 2012, sendo atualmente membro da sua Comissão de Gestão. Em 2012 foi nomeado membro coordenador do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia, e é professor catedrático convidado de Imunologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

Foi galardoado com diversos prémios e distinções internacionais: Prémio Fernstrbmska da Universidade de Uma, em 1981; Prémio Aniversario da Federação das Sociedades Europeias de Bioquímica (FEBS), em 1982; Prémio Gulbenkian de Ciência conjuntamente com os professores Benedita Rocha e António Freitas, em 1987; Prémio Behring-Metchnikoff, da Sociedade Francesa de Imunologia, em 1990; Prémio Lacassagne do "College de France", em 1995; Ordem do Cruzeiro do Sul (Brasil), em 1998; Légion d'Honneur (França), em 2001; Placa de Homenagem da Sociedade Brasileira de Imunologia, em 2002; Ordem do Infante D. Henrique (Portugal), em 2003; Prémio Universidade de Lisboa, em 2007; Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal de Minas Gerais, em 2014. A 9 de Junho de 2003 foi feito Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

imprimir
tags
ficheiros associados
evento relacionado
 
outras notícias