conteúdos
links
tags
Ensino e Formação
Cerca de 2500 alunos, no total, a aprender a língua chinesa na região
Instituto Confúcio da UA alarga ensino de mandarim a cerca de 500 alunos de Estarreja
Aulas de mandarim coordenadas pelo Instituto Confúcio da UA alargam-se a Estarreja
O Instituto Confúcio da Universidade de Aveiro (IC-UA) alargou, recentemente, o ensino de mandarim a cerca de 500 alunos do ensino básico de Estarreja, passando a contar cerca de 2500 alunos, no total, a aprenderem a língua chinesa na região.

Além das aulas de mandarim em S. João da Madeira - do 3.º ao 9.º anos, com cerca de 850 alunos - e do alargamento do projeto de Espinho - este ano com o 3.º e 4.º anos, com cerca de 600 alunos -, o IC-UA inicia este novo ano com um novo projeto nas escolas do ensino básico de Estarreja.

Neste último caso, o projeto envolve alunos do 3.º e 4.º anos, um total de 485 alunos. O secretário de Estado da Educação, João Costa, esteve na cerimónia de Abertura do Ano, a 5 de setembro, em Estarreja, onde foi anunciado o projeto de Ensino de Mandarim nas Escolas do 1.º ciclo.

Acrescem a estes grandes projetos outros envolvendo menos alunos, como em Vale de Cambra (Agrupamento de Escolas do Búzio), nas Florinhas do Vouga, na Academia de Saberes de Aveiro, na Cooperativa Santa Joana, na Junta de Freguesia de Aradas, no Colégio D. José, na Escola Adolfo Portela, no Instituto Duarte Lemos (ambos em Águeda) e no Centro de Educação Integral (S. João da Madeira).

Assim, o IC-UA inicia o ano letivo com um novo projeto em Estarreja e cerca de 2500 alunos, no total, a aprenderem mandarim na região.

imprimir
tags
outras notícias