conteúdos
links
tags
Distinções
Prémio Jovem Investigador em Electroquímica 2017
Contributos científicos de jovem investigador da UA reconhecidos pela Sociedade Portuguesa de Electroquímica
Maksim Starykevich, pós-doc no Departamento de Engenharia de materiais e Cerâmica e no CICECO ¿ Instituto de Materiais de Aveiro
Maksim Starykevich, pós-doc no Departamento de Engenharia de materiais e Cerâmica e no CICECO – Instituto de Materiais de Aveiro, na área da Electroquímica, foi distinguido pela Sociedade Portuguesa de Electroquímica (SPE) com o Prémio Jovem Investigador em Electroquímica 2017, devido à sua atividade de investigação científica naquela área de conhecimento. O prémio é entregue em maio, no encontro da SPE, a decorrer na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, Porto.

Maksim Starykevich, 29 anos, é investigador de pós doutoramento no Departamento de Engenharia de Materiais e Cerâmica (DEMAC) e no CICECO – Instituto de Materiais de Aveiro, integrando o grupo de investigação “Materials for Energy and Functional Surfaces” do laboratório “Solid State Ionics”, sob supervisão do professor do DEMAC Fernando M.B. Marques.

Licenciado em Engenharia Química Industrial (Tecnologia de elastómeros) pela Belarusian State Technological University, Minsk, Bielorrússia, Maksim Starykevich realizou o seu doutoramento em Ciência dos Materiais, na Universidade de Aveiro, tendo concluído este grau com distinção em julho de 2017.

Para além da sua investigação na área da eletrodeposição de metais a partir de líquidos iónicos em modelos anódicas porosos, o jovem investigador tem-se dedicado, também, a estudar vários revestimentos anódicos para proteção contra corrosão, estando focado atualmente na caracterização de novos materiais compósitos de carbonato fundido / cerâmica para captura de CO2.

O Prémio Jovem Investigador em Eletroquímica da SPE visa premiar a atividade científica em Eletroquímica, traduzida na publicação de artigos científicos em revistas de reconhecido mérito e na revista da Sociedade (Portugaliae Electrochimica Acta), bem como de patentes. O galardão destina-se distinguir novos talentos, investigadores de unidades de investigação nacionais, há pelo menos três anos, que sejam residentes em Portugal e tenham menos de 40 anos, à data do fim do prazo da candidatura.

Importa referir que já em 2016, a SPE tinha distinguido Sónia Patrício, investigadora de pós-doutoramento no CICECO / DEMaC, com o mesmo galardão.

imprimir
tags
outras notícias