conteúdos
links
tags
Entrevistas
Antigo aluno UA - Nelson Faustino, licenciado em Matemática Aplicada e Computação e doutor em Matemática
Matemática + Computação = (Paixão)²
Nelson Faustino
Respira Matemática, ama Matemática, sonha com Matemática e ainda lhe pagam para trabalhar em Matemática. Professor e investigador na Universidade Federal do ABC (Brasil), Nelson Faustino é licenciado em Matemática Aplicada e Computação e doutor em Matemática pela Universidade de Aveiro (UA). Em setembro, o trabalho em prol da sua paixão valeu-lhe uma homenagem da Sociedade Europeia de Métodos Computacionais nas Ciências e Engenharias. Números à parte, tem uma palavra que adora: “Eureka!!”.

A licenciatura e o Doutoramento do Departamento de Matemática (DMat) da UA valeram-lhe “uma sólida formação em Matemática, aliada a uma vasta experiência em linguagens de programação”. Com as formações na bagagem, seguiu para Pós-Doutoramento no Centro de Matemática da Universidade de Coimbra e no Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica da Universidade Estadual de Campinas (Brasil).

Atualmente, aos 35 anos, Nelson Faustino é professor e investigador no Centro de Matemática, Computação e Cognição (CMCC) da Universidade Federal do ABC (Brasil). Para além dos projetos de investigação de doutoramento e pós-doutoramento, integrou também o Frame design, um projeto de pesquisa interdisciplinar, liderado por Luís Daniel Abreu, atualmente investigador da Academia Austríaca de Ciências (Áustria) e direcionado para aplicações em engenharia elétrica e telecomunicações.

Em setembro de 2017 foi agraciado pela Sociedade Europeia de Métodos Computacionais nas Ciências e Engenharias (ESCMSE), com o título de ’Honorary Fellowship’ pelos seus contributos prominentes em Matemática Aplicada e Computação.

Quais os motivos que o levaram a estudar na UA?

O principal atrativo que me levou a escolher a UA foi a interdisciplinaridade dos cursos de graduação, mais propriamente o seu projeto pedagógico assente num tronco comum de disciplinas para os alunos de Ciências e Engenharia.

O curso correspondeu às suas expectativas? E a UA?

O curso de Matemática Aplicada e Computação correspondeu, em grande parte, às minhas expectativas, na medida em que me foi possível optar no final do curso por disciplinas mais dirigidas para continuação de estudos de pós-graduação. Em particular, gostaria de destacar o facto de, no ano letivo de 2003/2004, o DMat ter aberto, a título excecional, a disciplina de Medida e Integração, em que eu era o único aluno inscrito. Neste aspeto, estou eternamente grato ao DMat da UA, e ao professor António Caetano, com quem cursei esta disciplina.

Como um todo, posso dizer que a UA foi mais que uma universidade para mim, foi o meu segundo lar, durante quase 9 anos.

O que mais o marcou na UA?

O melhor que guardo desses tempos de estudante na Universidade são as amizades que criei e os contactos profissionais que adquiri ainda como estudante de Doutoramento. Tirando as saudades que por vezes tenho de voltar a estudar no último piso da biblioteca, onde tinha acesso àquela vista privilegiada sobre a ria de Aveiro, posso afirmar que as amizades que guardo desses tempos foram um ativo determinante para o sucesso que alcancei na instituição.

Sempre soube a profissão que queria seguir?

Não necessariamente! Quando ingressei na UA, o meu objetivo passava essencialmente por me licenciar e, eventualmente, procurar um emprego numa empresa de informática, ou na banca - como muitos dos meus colegas de curso. O meu interesse em seguir uma carreira de investigação surgiu apenas no decurso do segundo ano de licenciatura quando frequentei os cursos de Análise Complexa e Cálculo IV, com os professores Uwe Kaehler e Alexander Plakhov, onde obtive duas das minhas melhores notas ao longo da graduação. Por outro lado, o entusiasmo e persuasão do professor Uwe Kaehler, que anos mais tarde veio a ser meu orientador de doutoramento, foram decisivos para ter arriscado apostar seriamente numa carreira académica.

descrição para leitores de ecrã
O gabinete de Nelson Faustino (vestido de rosa) está sempre de portas abertas aos estudantes para que nenhuma dúvida que tenham fique por esclarecer

Como descreve a sua atividade profissional?

A minha atividade é muito similar à de muitos professores que me deram aulas na universidade: Ensino, Investigação e Extensão. Dou atualmente aulas para os alunos do Bacharelado em Ciência e Tecnologia e do Bacharelado em Ciências e Humanidades da Universidade Federal do ABC (UFABC), situada no ABC Paulista [região metropolitana de São Paulo]. Desde que ingressei nesta Universidade, em março de 2016, já ministrei um Curso de Verão para alunos de pós-graduação em Matemática; já fui arguente principal em duas teses de doutoramento - uma na Física e outra na Matemática; terminei recentemente a orientação de um aluno de iniciação científica, ao abrigo do programa Pesquisando Desde o Primeiro Dia.

No futuro pretendo publicar as minhas notas de aula, que desenvolvi ao longo do curso de Funções de Várias Variáveis (2017), em formato e-Book e, posteriormente, em formato físico.

O que mais o fascina na sua atividade profissional?

Ter a possibilidade de poder manter o meu hobbie predileto - fazer investigação em matemática - e ainda me pagarem por isso [risos].

Agora falando um pouco mais a sério: gosto imenso de vivenciar o famoso momento ''Eureka'' antes de submeter um artigo para publicação; gosto também de tirar dúvidas a alunos fora da sala de aula, pois aí tenho a possibilidade de os treinar na arte de resolver problemas, tarefa muitas vezes impossível em sala de aula por questões de tempo.

Digamos que no somatório de todas as partes, onde incluo tarefas como correção de provas, o resultado é positivo pela flexibilidade laboral. Em concreto, numa outra profissão liberal seria-me impossível estar duas semanas afastado de atividades docentes, para poder realizar primeiro uma visita científica à Bauhaus-Universität Weimar, na Alemanha, e posteriormente participar numa conferência internacional em Salónica, na Grécia.

Gostaria também de salientar que o calendário escolar da UFABC, assente em sistema quadrimestral ao invés do tradicional sistema semestral, permite-me concentrar a minha carga letiva em dois dos três quadrimestres, podendo tirar um quadrimestre de folga para realizar apenas atividades de investigação.

Que competências adquiridas na UA entende terem sido fundamentais para o exercício da sua atual atividade?

Uma sólida formação em Matemática, aliada a uma vasta experiência em linguagens de programação.

imprimir
tags
outras notícias