conteúdos
links
tags
Campus
Trabalho de quatro equipas distinguido
Primeiro Sunset Hackathon foi um sucesso!
Equipa Hackathon
Foram três dias muito intensos, com cerca de meia centena de participantes a trabalhar em 12 equipas, em conjunto com mais de uma dezena de mentores e apoiados por uma fantástica equipa de voluntários! O primeiro Sunset Hackathon, a que a Universidade de Aveiro se associou, foi promovido e produzido pela jovem associação Hardware City em co-promoção com a Câmara Municipal de Ílhavo, decorreu duas 1, 2 e 3 de setembro, na Costa Nova e foi um sucesso.

Com um formato único, ambiente descontraído e enormes índices de criatividade, o Sunset Hackathon destacou-se por ser a primeira e maior maratona de desenvolvimento de produto em inovação aberta, onde empresas de renome mundial desafiaram os participantes a repensar conceitos complexos e a desenvolver soluções inovadoras.

Com vista a dar resposta aos mais variados desafios propostos pelas entidades presentes (como a Bosch, a OLI, a Motofil, o CEiiA e o BITalino), os participantes idealizaram, desenvolveram e apresentaram provas de conceito dentro de âmbitos diversos como a interacção com carros do futuro, programação de robôs industriais colaborativos, inovação nos sistemas sanitários, construção de tags para animais marinhos e dispositivos biométricos que criam música com as emoções humanas usando tecnologia made in Portugal.

Este evento combinou extrema concentração e trabalho por parte de equipas multidisciplinares. Uma das apostas-chave foi também a aprendizagem através de variados workshops hands-on e da interacção directa com extraordinários mentores. Tudo isto num ambiente relaxado, onde não podia faltar a Sunset Party de sábado!

Todos foram vencedores, mas houve quatro equipas que se destacaram e por isso mereceram ser chamadas ao palco após as suas apresentações e deliberação do júri.

descrição para leitores de ecrã
1º lugar: 2017: Odisseia na Costa Nova

A grande vencedora, com um prémio de €3000, foi a equipa 2017: Odisseia na Costa Nova que apresentou um interface para um carro autónomo capaz de reconhecer utilizadores pela voz e respectiva localização dentro do veículo, actuando  segundo as preferências de cada passageiro e a sua posição no carro. Esta equipa provou que se podem criar rapidamente provas de conceito avançadas,  tirando  partido de hardware off the shelf (produtos comerciais) para se poder testar soluções de  produto para a área automóvel.

A segunda classificada, a equipa CreativEngineers ganhou o prémio de €1000 por ter programado um robô industrial colaborativo e criado uma garra segura, movida a ar, usando tecnologia inovadora de impressão 3D. A Motofil viu no evento a oportunidade de experimentar o Verdinho (como é carinhosamente chamado), único em Portugal, adquirido propositadamente para o evento, que demonstrou ser possível a colaboração segura entre robôs industriais e seres humanos.

Em terceiro lugar, a equipa doeszic ganhou um cheque-formação oferecido  pela UNAVE após desenvolver um wearable com base no BITalino para produtores e artistas musicais, com o qual os utilizadores podem produzir música com base em sensores biométricos, tais como movimento de músculos, ondas cerebrais ou batimentos cardíacos, cuja novidade é captar as emoções do artista.

A equipa The Gatekeepers - constituída por jornalistas / curadores de conteúdos, developers das áreas STEM e criativos/designers (UX, storytelling, interactividade) - foi a primeira a ser chamada para receber uma menção honrosa pelo esforço extraordinário desenvolvido durante a maratona, na qual desenvolveu uma aplicação (Use Case) bem sucedida usando a plataforma da ClusterMedia Labs.

Esta aplicação permite aos media a contextualização “on-the-fly”  de conteúdos  multi-formato com sincronização aos instantes das peças vídeo (por exemplo, um documentário em que em simultâneo, a partir de uma aplicação, são apresentadas informações relacionadas com o conteúdo  numa layer adicional de informação), mostrando que a área dos media pode ganhar e muito aproveitando este ambiente de inovação aberta e de contacto com os tecnólogos.

Depois de todo o feedback tão positivo que foi dado durante os três dias e que continua a chegar depois de encerrado o evento, fica a porta aberta para uma segunda edição do Sunset Hackathon!

imprimir
tags