conteúdos
links
tags
Distinções
Projeto desenvolvido por quatro estudantes do DETI
Plataforma de apoio ao estudo distinguida no “Student Competition SLERD 2017@UA”
Plataforma de apoio ao estudo distinguida no ¿Student Competition SLERD 2017@UA¿¿
Chama-se Electronics Learning Ecosystem (ELE) e é uma plataforma web de apoio ao estudo que visa dinamizar o ensino das Unidades Curriculares (UCs) da área da Eletrónica/Eletrotecnia, complementando o ensino tradicional com um ensino personalizado para cada aluno. O projeto é da autoria de quatro alunos do Mestrado Integrado em Engenharia Eletrónica e Telecomunicações da Universidade de Aveiro e foi distinguido com o 2.º lugar no “Student Competition SLERD 2017@UA”.

Foi com entusiasmo que André Gradim, Duarte Dias, Pedro Magalhães e Pedro Martins, alunos do Mestrado Integrado em Engenharia Eletrónica e Telecomunicações receberam a notícia. Esta distinção “representa uma validação do projeto como Smart Learning Ecosystem e confirma que desperta interesses fora da esfera da Eletrónica/Eletrotecnia”, confessam, adiantando que atualmente estão a desenvolver o projeto de forma voluntária, em horário extracurricular, sob a orientação do professor Nuno Matos, regente da UC de Análise de Circuitos, que propôs a ideia inicial e lançou o desafio.

O ELE é uma plataforma web que permite aos alunos complementar a aprendizagem das unidades curriculares da área de Eletrónica/Eletrotecnia, dando-lhes a possibilidade de aceder a uma gama abrangente e variada de exercícios, com resolução passo a passo acompanhada por uma explicação teórica, adaptada às exigências particulares do aluno.

André Gradim, Duarte Dias, Pedro Magalhães e Pedro Martins referem que a plataforma possui uma componente de autoavaliação, permitindo ao aluno, em tempo real, ter uma estimativa do quão bem aplica os conhecimentos teóricos da disciplina em problemas práticos. Essa estimativa é efetuada considerando o peso dos diferentes capítulos do plano curricular na avaliação da respetiva UC. Está também previsto o professor ter acesso a estatísticas da performance dos alunos.

Para fomentar a adoção da plataforma e a prática de análise de circuitos, avançam os estudantes, “existirá uma componente de gamification, com leaderboards, medalhas e desafios. Será possível ainda os alunos submeterem circuitos para a plataforma e desafiarem outros colegas a resolvê-los, permitindo interação entre os estudantes.”

O conteúdo teórico será disponibilizado ao aluno de forma personalizada, adaptando-se aos conhecimentos que possui, através dos mecanismos de avaliação da sua performance na plataforma. “O objetivo é detalhar a explicação de conteúdos teóricos sempre que necessário ou encurtar essa explicação se o aluno já demonstrou que domina os conteúdos envolvidos” explicam os autores do projeto.

descrição para leitores de ecrã
Os autores do projeto, da esquerda para a direita, Duarte Dias, Pedro Magalhães, André Gradim e Pedro Martins

O trabalho, que está a ser desenvolvido pelos quatro alunos do Mestrado Integrado em Engenharia Eletrónica e Telecomunicações, usando as plataformas MEGUA e SIACUA (da autoria de professores do Departamento de Matemática da Universidade de Aveiro), pretende criar um ecossistema de ensino, através de exercícios com resolução passo a passo, conteúdo teórico e ainda uma componente "tipo jogo", com leaderboards, desafios e medalhas.

“Estamos a desenvolver software que, desenhando um modelo de circuito genérico e criando uma pergunta, consegue gerar aleatoriamente variações desse modelo e resolver passo a passo cada exercício, apresentado uma resolução personalizada. Também já temos implementadas as leaderboards, sorteando a performance dos alunos", contam, adiantando: "durante este semestre cobrimos parcialmente o plano curricular de Análise de Circuitos, uma UC de 2º ano do curso do Mestrado Integrado em Eletrónica e Telecomunicações, tendo disponibilizado exercícios para dois dos três capítulos da UC, que permitiram validar o projeto numa fase alpha, tendo o projeto recebido um bom feedback e muitas sugestões para melhorar”.

O projeto tem duas aplicações práticas previstas. A primeira é servir de complemento ao conteúdo lecionado de forma tradicional nas UCs de Eletronica/Eletrotecnia, permitindo uma aprendizagem à distancia e personalizada, mas adequada ao plano curricular da UC; a segunda passa pelo uso do software para resolver circuitos fora do âmbito da plataforma, colmatando a lacuna no mercado em software de análise de circuitos que apresente a sua resolução passo a passo, de forma educativa.

"Não podemos deixar de agradecer ao Professor Nuno Matos, a orientação, incentivo e confiança depositada na equipa, bem como aos responsáveis do SIACUA pelo apoio, em especial aos professores Luís Descalço e João Cruz", rematam.

Importa referir que na “Student Competition SLERD 2017@UA”, que integrou a 2nd International Conference on Smart Learning Ecosystems and Regional Developments, organizada em junho pela Universidade de Aveiro (UA) e pela Association for Smart Learning Ecosystems and Regional Development (ASLERD), foi distinguido com o 1º lugar um outro projeto da UA. Trata-se do Spire UA, da autoria dos estudantes finalistas de Novas Tecnologias da Comunicação, Eduardo Santos, Stephanie Garcia e Maria João Cunha.

Informações sobre o SIACUA podem ser consultadas em siacua.web.ua.pt e sobre o MEGUA em http://cms.ua.pt/megua/divulga

imprimir
tags