conteúdos
links
tags
Investigação
Investigação do Departamento de Química, do QOPNA e do CICECO-Instituto de Materiais de Aveiro
UA desvenda novos caminhos no mundo dos solventes
A investigadora Catarina Seiça Neves
Afinal, há líquidos iónicos imiscíveis entre si. A garantia é dada por uma equipa de investigação do Departamento de Química (DQ) da Universidade de Aveiro (UA) que, com a descoberta, abre as portas ao desenvolvimento de processos mais eficazes e sustentáveis de separação e de purificação numa vasta gama de produtos, recorrendo unicamente a solventes não-voláteis. A descoberta acaba de ser anunciada no último número da revista The Journal of Physical Chemistry Letters, um dos mais importantes jornais científicos na área da Química-Física.

Catarina Seiça Neves, Artur Silva, Ana Fernandes, João Coutinho e Mara Freire são os investigadores do DQ, envolvendo as unidades de investigação Química Orgânica, Produtos Naturais e Agroalimentares (QOPNA) e CICECO-Instituto de Materiais de Aveiro, que assinam esta descoberta.

“Dada a sua natureza iónica, estes solventes não são voláteis em condições atmosféricas e, por isso, têm despertado um elevado interesse na comunidade científica e indústria como alternativas promissoras aos solventes orgânicos voláteis atualmente utilizados nos mais variados processos de spearação”, explica Catarina Seiça Neves. No entanto, aponta a investigadora, “os líquidos iónicos tendem a ser miscíveis entre si, o que condiciona a sua aplicação em técnicas de extração e purificação do tipo líquido-líquido dada a necessidade de um segundo solvente, que tende a ser volátil”.

Com este trabalho provou-se a existência de líquidos iónicos imiscíveis entre si, e portanto, combinações totalmente não voláteis que podem ser utilizadas em processos de separação/purificação. “Determinaram-se os diagramas de fase para seis pares de líquidos iónicos e demonstrou-se a sua aplicação em processos de separação”, desvenda Catarina Seiça Neves. A título de exemplo, neste trabalho foi possível demonstrar a separação seletiva de corantes da indústria têxtil recorrendo a este tipo de sistemas.

Antes da publicação, o trabalho já tinha dado a Catarina Seiça Neves o prémio de melhor apresentação em póster no 8th Green Solvents Conference, que decorreu em outubro de 2016, em Kiel, na Alemanha. 

imprimir
tags
outras notícias