conteúdos
links
tags
Entrevistas
Antigo aluno UA – José Carlos Amador, licenciado em Engenharia Física
Um engenheiro físico multifacetado na linha da frente da Martifer Solar
José Carlos Amador
É uma das maiores empresas do mundo na área das energias renováveis e tem em José Carlos Amador uma das chaves para o sucesso. Licenciado em Física pela Universidade de Aveiro (UA), José Amador é o responsável pelas áreas de Marketing, Comunicação e Inovação da Martifer Solar. Aos 39 anos, o antigo aluno da UA, entre as várias responsabilidades que assumiu no início da carreira na Philips e na Bosch e, nos últimos anos, na Martifer, tem desbravado um percurso que, garante, o ajudou a “crescer enquanto profissional e enquanto Homem”.

Licenciado em Engenharia Física em 2001 (atual Mestrado Integrado em Engenharia Física) pelo Departamento de Física da UA, onde fez também o Curso de Formação Especializada em Física das Energias Renováveis, José Carlos Amador começou por trabalhar na Philips e, seguidamente, na Bosch. Em 2004 chegou à Martifer.

Em quase 17 anos de atividade profissional tornou-se um engenheiro físico multifacetado: trabalhou em engenharia de produto, foi técnico de investigação em energias renováveis, foi responsável por criar um departamento de I&D para desenvolvimento de soluções fotovoltaicas e, hoje, é responsável pelas áreas de Marketing & Comunicação e Inovação. Pelo meio passou também pela direção do Instituto Português de Energia Solar.

Quais os motivos que o levaram a estudar na UA?

O principal motivo que me levou a estudar na UA foi o prestígio e o reconhecimento que já existia para os cursos de engenharia, quer a nível nacional, quer a nível internacional. Obviamente que o facto da UA ficar próximo de casa facilitou e permitiu-me o conforto familiar e todos os hobbies. 

O curso correspondeu às suas expectativas? E a UA?

O curso foi exigente e sem dúvida que me preparou para os desafios pós Universidade, nomeadamente ao nível de formação em engenharia. A Universidade tinha umas instalações fantásticas, um corpo docente muito rico ao nível de conhecimentos e competências, e que sabiam transmitir e passar o conhecimento para os alunos. O ambiente entre estudantes era extraordinário e fiz amizades que permanecem.

O que mais o marcou na UA?

Existem dois momentos que ficarão para sempre. O primeiro momento foi quando vi o meu nome nas listas de acesso à Universidade, que foi de uma felicidade indescritível e onde claramente percebi a oportunidade que estava à minha frente. O segundo momento foi quando vi a última nota na pauta, um misto de alegria, euforia e medo, medo de enquanto jovem engenheiro não estar preparado e de falhar.   

Sempre soube a profissão que queria seguir?

Não. Sabia apenas que queria ser engenheiro, mas não tinha a mínima noção do que era isso de ser Engenheiro. Sabia era que queria fazer coisas diferentes e fugir a trabalhos rotineiros. Acho que uma elevadíssima percentagem dos estudantes não faz ideia do que virá a ser a sua vida profissional, apenas tem a ambição de ter formação e um título.

Como descreve a sua atividade profissional?

Ao longo de todo o meu percurso profissional, tive a oportunidade de fazer coisas diferentes e isso ajudou-me a crescer enquanto profissional e enquanto Homem. Comecei por trabalhar em engenharia de produto, algo que me permitiu perceber sobre linhas de produção, critérios e ferramentas de qualidade, fui técnico de investigação em energias renováveis, onde estudei e enriqueci conhecimento na área, fui responsável por criar um departamento de I&D para desenvolvimento de soluções fotovoltaicas. Hoje sou responsável pelas áreas de Marketing & Comunicação e Inovação.

O curioso no meio disto tudo é que grande parte deste tempo foi passado a estudar e a aprender, e sempre com interação com o mundo académico. 

O que mais o fascina na sua atividade profissional?

O que mais me fascina é o facto de não ter atividade rotineira, mas sim de antecipar e pensar mais à frente.

Que competências adquiridas na UA entende terem sido fundamentais para o exercício da sua atual atividade?

A Universidade deu-me a oportunidade de adquirir conhecimento em múltiplas áreas, como a matemática, as leis da física, a informática, os ensaios laboratoriais, o trabalhar em grupo, estruturar e fazer relatórios, apresentar publicamente trabalhos, etc. E olhando a esta distância para os tempos de estudante universitário, dou comigo a lamentar o facto de não ter dado ainda mais atenção a tanto conhecimento e a tantas dicas que me estavam a ser passados.

imprimir
tags
outras notícias