conteúdos
links
tags
Investigação
José Carlos Mota e Gonçalo Santinha são professores do DCSPT
Professores de Planeamento na UA publicam capítulo em livro sobre “Smart Cities”
Gonçalo Santinha e José Carlos Mota
A experiência com os movimentos cívicos de contestação que surgiram em Aveiro a partir da candidatura comunitária do chamado Parque da Sustentabilidade (PdS), eixo central da cidade, são a base de um capítulo assinado por dois investigadores da Universidade de Aveiro (UA) de um livro recém-editado. O livro “Human Smart Cities – rethinking the interplay between design and planning”, coordenado por Grazia Concilio e Francesca Rizzo, foi recentemente editado pela Springer.

O capítulo assinado por José Carlos Mota e Gonçalo Santinha, professores do Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território (DCSPT), aborda essa experiência como exemplo da influência que os cidadãos organizados podem exercer em decisões políticas tomadas nas costas da população, decisões essas que ameaçam alterar a vivência dos citadinos. Nestes movimentos cívicos incluem-se a comissão de moradores do bairro do Alboi, o grupo “Amigos d’Avenida” e a Plataforma Cidades, cuja ação teve maior visibilidade entre 2010 e 2012. José Carlos Mota foi um dos principais impulsionadores deste segundo grupo. A experiência vivida pelos próprios investigadores foi importante para a elaboração do capítulo, explica Gonçalo Santinha.

Para além da componente prática resultante da experiência pessoal, para a elaboração do capítulo contribuiu ainda o trabalho académico, de caráter mais teórico, que tem vindo a ser desenvolvido por cada um. José Carlos Mota tem vindo a dar especial atenção às formas de participação no Planeamento, tendo defendidoa a a tese de doutoramento com o título “Planeamento do território: metodologias, actores e participação”, e o trabalho de Gonçalo Santinha orienta-se para a área do Planeamento Estratético.

No livro, participam ainda dois nomes incontornáveis dos estudos e ensino de Planeamento nos dias de hoje: Louis Albrecht, professor da Universidade Católica de Lovaina e académico destacado da Association European Schools of Planning (AESOP), e Charles Landry, autor de “The Creative City: A Toolkit for Urban Innovators”.

Entretanto, Gonçalo Santinha é autor de um artigo recetemente publicado na revista Saúde e Sociedade, editada em São Paulo. O artigo intitula-se “Políticas da saúde e território: um debate em torno da realidade portuguesa à luz da visão de decisores políticos e instrumentos programáticos”: 

imprimir
tags
outras notícias