conteúdos
links
tags
Entrevistas
Estudantes internacionais, Henriques Bustani
Mérito internacional da UA trouxe licenciado moçambicano para Aveiro
Henriques Bustani
Henriques Oreste Bustani, 35 anos, é da cidade de Pemba, província de Cabo Delgado, em Moçambique. Licenciado em Química, pela Universidade Eduardo Mondlane (Maputo), coordenou e desenvolveu, no Instituto Nacional de Investigação Pesqueira (IIP), na província de Cabo Delgado, investigação para o conhecimento científico dos recursos pesqueiros e aquícolas com vista a uma melhor gestão, conservação e otimização da sua exploração. Na UA concluiu recentemente Mestrado em Biologia Marinha.

Em 2012, durante uma missão de serviço, colaborou no Projeto PPEMBA; um trabalho coordenado pela Universidade de Aveiro, com o envolvimento de várias instituições moçambicanas, entre as quais, a Universidade de Lúrio e o IIP, que visava conhecer, para conservar, a biodiversidade marinha de Pemba. “Há muito que ouvia falar da UA, mas foi nesta missão de serviço que tive oportunidade de conhecer e colaborar neste projeto com alguns professores do Departamento de Biologia da UA, designadamente com o Professor Fernando Morgado.”

Foi a vontade de aumentar os seus conhecimentos científicos “numa universidade de reconhecido mérito internacional” que o levou a candidatar-se ao mestrado em Biologia Marinha da UA; uma formação que concluiu recentemente com a apresentação da dissertação “Distribuição espacial de bivalves em tanques de terra numa aquacultura semi-intensiva de robalo” e que foi financiada pelo Instituto Camões aos estudantes da CPLP em parceria com o Governo de Moçambique.

Se em Aveiro diz que o que mais o surpreendeu foi a hospitalidade, a tranquilidade e a beleza natural da cidade, sobre a Universidade ressalta não só as condições de formação oferecidas pelos seus laboratórios, como o empenho dos professores e investigadores nas aulas e vasta experiência profissional, e ainda a qualidade e facilidade de acesso às fontes de informação bibliográfica, existentes nas bibliotecas físicas e virtuais.

Já de novo em Moçambique, Henriques espera poder dar o seu contributo aos esforços do Governo no âmbito da exploração sustentável de recursos aquáticos no país e na procura de alternativas à pesca.

imprimir
tags
veja também
 
outras notícias