conteúdos
links
tags
Entrevistas
Antigo aluno UA – Luís Pereira, Mestre em Engenharia Física
O Engenheiro Físico que dá luz à Audi, à Lamborghini e à Volkswagen
Luís Pereira
Vê todos os dias o trabalho passar–lhe à frente dos olhos. Literalmente! A Audi, a Lamborghini ou a Volkswagen são algumas das marcas automóveis com modelos que trazem nos farolins a marca de Luís Pereira. Formado em Engenharia Física pela Universidade de Aveiro (UA), o fundador do Departamento de Engenharia Térmica da Aspöck Portugal, é o responsável pelo design e gestão térmica de alguns dos sistemas de iluminação que a empresa fornece para modelos como o VW Caddy, o VW Sirocco R, o Audi A3 ou o Audi A6.

O ano de 2011 marca o primeiro dia do resto da vida de Luís Pereira. Termina o Mestrado Integrado em Engenharia Física no Departamento de Física da UA e começa a trabalhar na empresa Tetracis-Plurirede com a missão de desenvolver sistemas de gestão térmicas para componentes optoelectrónicos de iluminação geral e automóvel. Em 2013 transitou para a Aspöck Portugal com o objetivo de formar o departamento de Engenharia Térmica, local onde a empresa, desde então, realiza todos o estudos, simulações e desenvolvimento térmico dos farolins para veículos automóveis.

Para ir ainda mais longe, que é como quem diz, para iluminar ainda melhor a Aspöck, Luís Pereira regressou à UA onde está a tirar um doutoramento em Física, formação que envolve a própria empresa e entidades como a Systems GmbH, o Instituto I3N e a Universidade do Minho.

Quais os motivos que o levaram a estudar na UA?

Conheci a UA numa visita de estudo de 9º ano ao campus onde participei num concurso do PmatE. A partir dessa visita decidi que a UA ia ser a universidade para a qual eu queria ir prosseguir os meus estudos. A partir da minha primeira visita, tudo o que vim a conhecer da UA até à data da minha ingressão na universidade apenas serviu para reforçar a ideia inicial.

O curso correspondeu às suas expectativas?

Plenamente. O curso de Engenharia Física trata-se não só de um curso com base nas físicas mas sim um curso amplamente abrangente e multidisciplinar, sendo extremamente exigente dos seus alunos. O curso de Engenharia Física confere aos seus alunos uma capacidade de aprendizagem autodidata impar preparando-os para o mundo profissional de forma ímpar.

Este curso, devido à sua multidisciplinaridade e à capacidade de aprendizagem autodidata que me conferiu, permite-me hoje, na minha vida profissional, lidar com profissionais das mais variadas áreas e solucionar problemas multidisciplinares complexos.

O que mais o marcou na UA?

A academia em si, o espirito de união das pessoas que fazem da UA o que ela é hoje, todo o apoio e acompanhamento dado pelos docentes e que me transferiram todo o conhecimento técnico que hoje tenho. E, claro, os alunos desta academia que me conferiram as capacidades sociais que hoje fazem de mim a pessoa que sou.

Sempre soube a profissão que queria seguir?

Não, penso que dificilmente uma criança iria responder que quer ser um Engenheiro Físico quando for grade, muito menos sonhar em ser o responsável pelo design e gestão térmica de alguns modelos de farolins para empresas tão conceituadas como a Audi, a Lamborghini ou a Volkswagen.

Como descreve a sua atividade profissional?

Desafiante, emocionante e imensamente gratificante. Poder ver o nosso trabalho passar literalmente por nós todos os dias na estrada e ver o fruto do nosso trabalho todos os dias a ser utilizado é possivelmente a melhor forma de concretização profissional possível.

O que mais o fascina na sua atividade profissional?

A constante necessidade de estar a par das novas tecnologias e materiais associados à indústria automóvel, tal como toda a complexidade e a multidisciplinaridade envolvida no desenvolvimento de farolins para automóveis. Mas o ponto de maior fascínio é a oportunidade de trabalhar com profissionais de alta qualidade das várias áreas científicas envolvidas na criação de um farolim e poder aprender com tais pessoas.

Que competências adquiridas na UA entende terem sido fundamentais para o exercício da sua atual atividade?

Como seria de esperar todos os conhecimentos de termodinâmica, física de fluidos e eletrónica transmitidos pelos meus docentes. Todas as capacidades sociais e de liderança que adquiri ao participar nas mais variadas atividades extra curriculares que esta academia proporciona aos seus alunos. Mas sem sombra de dúvida que o mais importante foi a capacidade de ser autodidata na aquisição de novas competências científicas.

imprimir
tags
outras notícias