conteúdos
links
tags
Conferências
Esta segunda-feira, 11 de abril
Oficina de música sobre "Braille Musical"
Oficina de música sobre
No dia 11 de abril, das 10h00 às 13h00, na sala 5.3.10 do Departamento de Educação, Jorge Gonçalves profere a palestra "Braile Musical", o código utilizado internacionalmente pelos cegos para ler e escrever música baseado em combinações de pontos formados a partir duma célula de seis pontos. Foi inventado por Louis Braille no início do Século XIX em Paris e é ainda hoje o método utilizado na produção de partituras para cegos. A entrada é livre.

Nesta oficina, Jorge Gonçalves irá apresentar o Braille Musical, fornecer o seu enquadramento histórico no mundo da acessibilidade, estabelecer os pontos em comum e diferenças com o Braille literal e fazer uma introdução à sua aprendizagem. Irão igualmente ser abordados tópicos como a sua aprendizagem tanto na perspetiva de quem tem e não tem visão e suas aplicações nas novas tecnologias de produção de partituras em braille.

Jorge Gonçalves nasceu a 3 de Março de 1983 em Coimbra. niciou os seus estudos de piano em Setembro de 1992 no Conservatório Regional de Tomar, com o Professor Joaquim Branco. Em Outubro de 1993 transferiu-se para Coimbra onde prosseguiu os seus estudos de piano no Conservatório de Música de Coimbra. Ao longo de oito anos onde permaneceu nesta escola, trabalhou com a Professora Isilda Margarida, onde terminou o Curso Geral de Piano em Junho de 2001.

Em Setembro de 2001, iniciou os seus estudos superiores de piano na École Normale de Musique de Paris Alfred Cortot, com o Professor Marian Rybicki. Nesta escola obteve no concurso de Junho de 2002, o Diplome d’Enseignement du Piano.
Em Julho de 2003, obteve o 3º prémio no "Concurs National de Musique du Maroc" em Casablanca, Marrocos.

Em Junho de 2004 concluiu os seus estudos na École Normale de Musique de Paris obtendo o Diplome Supérieur d’Ensignement du Piano. Efectuou recitais em diversas localidades como: Lajes, Coimbra, Fundão, Tomar, Porto, Moita, Castelo Branco no Festival da Primavera, Sintra, Palmela, Lisboa (Centro Cultural de Belém), Ourém, Torres Novas, Varsóvia e Dabrowica.

Em Dezembro de 2004, o seu trabalho foi dado a conhecer ao país através de uma grande reportagem SIC – Visão. Em Maio de 2005, foi convidado para ser um dos rostos do Pirilampo Mágico 2005, tendo participado na respetiva Gala de Abertura no Coliseu dos Recreios de Lisboa, que foi transmitida em direto nos diversos canais de televisão e rádio pública. Foi solista do Concerto de Grieg por seis ocasiões: Em Maio e Julho de 2005 acompanhado pela Banda Sinfónica da Guarda Nacional Republicana no Teatro Nacional de São Carlos em Lisboa e no Teatro Municipal Rivoli no Porto; em Junho de 2006 com a Banda de Música da Força Aérea Portuguesa na Casa das Artes em Vila Nova de Famalicão e três vezes com a Filarmónica União Taveirense: Janeiro de 2008 Teatro Aveirense (Aveiro), Março de 2008 no Teatro José Lúcio (Leiria) e Novembro de 2009 no Teatro Académico Gil Vicente (Coimbra).

Em Julho de 2006 foi protagonista de um recital comentado no Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém em Lisboa transmitido em direto pela estação de rádio Antena 2.
Em Junho de 2008, mudou-se para a Polónia com a intenção de efetuar neste país os seus estudos de pós-graduação.

Em Junho de 2011 concluiu em Varsóvia os estudos de pós-graduação (individual postgraduate artistic training) na Universidade de Música Fryderyk Chopin sob a orientação da Professora Elzbieta Tarnawska, onde obteve a classificação máxima de A. também em Junho de 2011 foi convidado pela marca de pianos Fazioli para oferecer um concerto num dos seus raros pianos onde interpretou entre outras obras os Estudos Sinfónicos de Schumann Op. 13.

Em Outubro de 2012, o seu trabalho e percurso de vida foram mostrados ao país numa nova reportagem da SIC no programa "Perdidos e Achados".Em Novembro e Dezembro de 2014 efetuou uma viagem a Natal, Brasil onde deu recitais de piano e ofereceu palestras e workshops sobre a temática do ensino de música para cegos e o Braille musical.

Em Dezembro de 2015 repetiu a viagem a Natal, Brasil onde além de palestras e um minicurso com a temática “Braille musical avançado”, ofereceu um recital a solo e um concerto com orquestra onde foi acompanhado pela Orquestra Sinfónica da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) com a direção do Maestro André Moniz onde interpretou “Rhapsody in Blue” de George Gershwin.

Atualmente frequenta o Mestrado em Música na Universidade de Aveiro sob orientação da Professora Shao Ling.

imprimir
tags
evento relacionado
 
outras notícias