conteúdos
links
tags
Distinções
Projeto conqusta categoria "Saúde" do NOVO BANCO Concurso Nacional de Inovação
Dosímetro de radiação desenvolvido por spin off da UA vence concurso de inovação
Luís Moutinho recebe prémio Novo Banco em nome da Nu-Rise
O dispositivo desenvolvido pela NU-RISE, uma spin-off da Universidade de Aveiro (UA) acolhida na Incubadora de Empresas da UA (IEUA), foi o vencedor da categoria “Saúde” da 11ª Edição do NOVO BANCO Concurso Nacional de Inovação. A NU-RISE, que desenvolve dispositivos para deteção de radiação, receberá 30.000 euros com esta distinção, dos quais 10.000 são para registo de propriedade intelectual.

“É motivante ver o nosso projeto premiado e reconhecido pelo seu caráter inovador, significa que vale a pena insistir nas boas ideias e continuar a trabalhar para as concretizar, num desafio diário, e que podemos contar com o apoio de grandes instituições para o fazer”, considera Luís Moutinho, CEO da Nu-Rise. O prémio, para além da divulgação associada, comenta o CEO da empresa, vai ainda permitir progredir no campo da proteção da propriedade intelectual (patentes internacionais), permite continuar com os testes em ambiente clínico, sendo também um importante impulso/motivação para a fase de financiamento que se prepara e coincidirá com a participação no e-team III do Building Global Innovators a decorrer no MIT (Boston), em maio de 2016.

A NU-RISE é uma spin-off da Universidade de Aveiro dedicada ao desenvolvimento de dispositivos para deteção de radiação, fundada por: Luís Moutinho, João Veloso e Filipe Castro.

Atualmente os seus esforços centram-se na certificação de um dosímetro para braquiterapia prostática, um dos principais tratamentos para o cancro da próstata. Hoje em dia, não existe nenhum dispositivo no mercado com sensibilidade e versatilidade exigida para controlo de dose de radiação em tempo real nestas situações.

O cancro da próstata é o cancro com maior incidência em homens de países desenvolvidos. França e Noruega são os países com maior número de casos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o número de novos casos deverá aumentar cerca de 75 por cento nos próximos 15 anos. Para a NU-RISE, isto representa mais de 0.5 milhão de pacientes que realizam braquiterapia prostática sem monitorização rigorosa de dose em tempo real.

O dispositivo premiado permite colmatar a falha, usando sondas de fibra ótica descartáveis. Podemos, assim, realizar dosimetria em tempo real na região a tratar e realizar correção de dose, minimizando efeitos secundários e conseguindo menor tempo de recobro. Estas vantagens são obtidas com um custo reduzido.

A segunda fase de testes in-vitro para regimes de alta taxa de dose está a decorrer em parceria com o serviço de radiologia dos Hospitais Universitários de Coimbra (HUC) e o Departamento de Física da UA. Nos próximos meses serão realizados testes em ambiente clínico em parceria com o IPO-Porto para regimes de baixa taxa de dose.

Enquanto ideia de negócio o projeto foi vencedor do Arrisca-C, em 2012. A equipa de investigadores participou no programa de aceleração “Building Global Innovators”, promovido pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE) e pelo MIT (Boston), tendo vencido na track "Medical Devices & Health IT” e conseguindo, assim, um investimento de 100 000 euros pela Caixa Capital TTA Ventures.

imprimir
tags
veja também
 
outras notícias