conteúdos
links
tags
Distinções
Aluno italiano faz doutoramento na UA
Trabalho realizado no Departamento de Biologia e CESAM premiado pela Italian Society for Evolutionary Biology
Emanuele Fasola foi distinguido pela Italian Society for Evolutionary Biology
Um artigo de revisão científica sobre as possíveis consequências provocadas pela perda de diversidade genética em anfíbios, devido à exposição a contaminação química, realizado por um aluno da Universidade de Aveiro (UA), recebeu o prémio de melhor artigo publicado na área de investigação em Biologia Evolutiva atribuído pela Italian Society for Evolutionary Biology. Emanuele Fasola é ex-aluno da Universidade de Milão e veio realizar o doutoramento na UA.

Emanuele Fasola, a frequentar o segundo ano de doutoramento no Departamento de Biologia da UA, foi distinguido com o prémio para melhor artigo publicado, no período compreendido entre 2014 e 2015, na área de investigação em Biologia Evolutiva em revista indexada da especialidade. O prémio foi atribuído pela Italian Society for Evolutionary Biology e entregue durante o 6th Congress of the Italian Society for Evolutionary Biology que decorreu em Bolonha, Itália, de 31 de Agosto a 3 de Setembro.

O artigo Microevolution due to pollution in amphibians: A review on the genetic erosion hypothesis foi publicado na revista Environmental Pollution e faz uma revisão crítica sobre as possíveis consequências provocadas pela perda de diversidade genética, devido à exposição a contaminação química, em populações naturais de anfíbios.

O artigo foi publicado no âmbito do trabalho que está a ser desenvolvido no projeto GENEROSI - Contaminant-driven Genetic erosion: consequences on the viability of Amphibia populations, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (referência: PTDC/BIA-BIC/3488/2012). Para além de Emanuele Fasola, o artigo teve como coautores Rui Ribeiro (Dept. de Ciências da Vida, Universidade de Coimbra) e Isabel Lopes (Departamento de Biologia e laboratório associado CESAM, da UA).

Anfíbios: um grupo ameaçado

Aproximadamente um terço das espécies de anfíbios conhecidas é considerada ameaçada, sendo colocada a hipótese de que este cenário pode piorar devido à ocorrência de redução na variabilidade genética de populações naturais destas espécies, provocada pela exposição a contaminação química. De facto, a manutenção da variabilidade genética é importante de modo a prevenir a perda do potencial evolutivo das populações/espécies e, consequentemente, da capacidade de lidar com possíveis alterações ambientais.

No caso específico dos anfíbios, as populações naturais possuem geralmente um pequeno número de indivíduos que se reproduz e contribui para o fundo genético de cada temporada de acasalamento. Pelo que é espectável que estas populações sejam facilmente afetadas por fenómenos de endogamia potenciados por erosão genética, ou seja, perda da diversidade genética numa população, provocada por contaminação química, o que pode conduzir essas populações à extinção. Deste modo, é de extrema importância estudar e compreender a influência das mudanças ambientais na diversidade genética das populações de anfíbios de modo a promover e planear estratégias precisas de conservação e evitar a perda de diversidade de espécies.

O artigo premiado discute os possíveis efeitos provocados pela perda da diversidade genética, em populações de anfíbios. Entre estes efeitos constam a perda da capacidade de deixar descendentes; perda de um conjunto de caraterísticas permitem à população adaptar-se a futuras perturbações ambientais; perda de mecanismos que permitem tolerância a mais de um fator de stress em simultâneo; ocorrência custos associados a compensações entre aptidão e mecanismos de tolerância; aumento da suscetibilidade a agentes patogénicos.

imprimir
tags
outras notícias