conteúdos
links
tags
Distinções
Amadeu Soares recebe nova distinção
Investigador da UA entre os 30 mais da Europa em Toxicologia
Amadeu Soares entre os 30 europeus mais citados na toxicologia
Surpreendido por ser o único português entre os 30 investigadores mais citados do ranking da publicação Lab Times, baseado na base de dados da ISI Web of Knowledge, na área da Toxicologia. Amadeu Soares, professor e investigador da Universidade de Aveiro (UA) considera que este é “um reconhecimento individual, claro, mas que não existiria sem a atividade de todo um grupo”. “Pelo que é mais um selo de qualidade para a relevância da Ciência que produzimos, no Departamento de Biologia da UA (DBio), no Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), na UA e em Portugal”, assinala.

Entre os 30 investigadores europeus mais citados na área das Toxicologia, com trabalhos publicados entre 2005 e 2011, no ranking da revista Lab Times construído a partir dos dados ISI Web of Knowledge, surge Amadeu Soares em 29º lugar. O diretor do Departamento de Biologia da UA e investigador do CESAM destaca o facto de ser o único português e um dos dois investigadores da Península Ibérica nos primeiros 30. Ainda mais relevante, sabendo que nestes 30 estão incluídos investigadores da área das Ciências da Saúde que, naturalmente, têm mais citações.

“A inclusão de investigadores da área das Ciências da Saúde, leia-se Toxicologia Humana, Toxicologia Clínica, Toxicologia Farmacológica, etc, ou seja a Toxicologia no seu sentido mais clássico, com a área da Toxicologia Ambiental (a que chamamos Ecotoxicologia), valoriza bastante a classificação obtida, pois normalmente os trabalhos na área da Saúde tem um impacto maior e um número de citações bastante maior do que trabalhos em Ecotoxicologia/Toxicologia Ambiental”, comenta o investigador. “Aliás, basta reparar que nas posições cimeiras doeste ranking só se encontram colegas da área da Saúde. Pode ser uma injustiça para quem é da Toxicologia Ambiental, mas no final só vem valorizar a presença dos colegas de Ecotoxicologia neste ranking, pelo que acaba por ser bastante positivo”.

Amadeu Soares fora distinguido em 2004 com o prémio “Estímulo à Excelência”, da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, e em 2013 com o SETAC-Europe Environmental Education Award, prémio europeu sobre disseminação do Conhecimento e Educação na área das Ciências Ambientais da Society of Environmental Contamination and Toxicology (SETAC). Tem vindo a dedicar-se a trabalhos que vão da Ecotoxicologia Terrestre à Aquática, com particular ênfase nos efeitos combinados de “estressores” naturais (temperatura, ultra violeta, por exemplo) com os efeitos dos químicos.

Sobre os trabalhos desenvolvidos entre 2005 e 2011, explica: “fomos consolidando ou desenvolvendo novas ferramentas de avaliação ecotoxicológica para responder a questões emergentes, como as nanopartículas, onde o meu grupo se tem posicionado como um dos líderes, mesmo a nível internacional, na avaliação ecotoxicológica das nanopartículas”. “Este foi um período de crescimento em termos de projetos, nacionais e internacionais, e de recursos humanos, com apostas estratégicas que se revelaram bastante acertadas, particularmente na fixação dos melhores dentro do meu grupo, no DBio e na UA”, afirma o investigador distinguido.

O Lab Times é uma publicação concebida por cientistas que trabalham no sul da Alemanha na área das Ciências da Vida, fundada em 1994 com o nome Laborjournal, e que publica rankings em várias áreas das Ciências da Vida a partir da informação na base do ISI Web of Science.

imprimir
tags
outras notícias