conteúdos
links
tags
Campus
Protocolo assinado dia 23 de outubro entre a UA e congénere brasileira
Promover mobilidade e investigação em acordo com a Universidade de Caxias do Sul
Protocolo UA Caxias do Sul
Incentivar o intercâmbio de docentes, investigadores e estudantes, realizar seminários e conferências conjuntos e ainda desenvolver investigação em comum são os objetivos de um protocolo de cooperação subscrito entre a Universidade de Aveiro (UA) e a Fundação Universidade de Caxias do Sul (FUCS), do Rio Grande do Sul, Brasil. O acordo foi assinado pelos reitores de ambas as instituições, a 23 de outubro, e vigora por cinco anos.

O protocolo visa a promoção do intercâmbio pedagógico e científico de docentes, investigadores e estudantes em programas conjuntos de lecionação e formação graduada e pós-graduada; a organização de iniciativas de dinamização académica, cultural e científica, designadamente através da realização conjunta de seminários, conferências e ou outros encontros; a elaboração e desenvolvimento conjunto de atividades de pesquisa e projetos de investigação e ainda outras atividades consideradas de interesse mútuo.

Para o reitor da FUCS, Evaldo Kuiava, trata-se de um “momento importante e profícuo para as duas instituições para que ambas possam a partir de agora fazer investigação em conjunto e interagir em áreas como a engenharia de materiais, ambiente (resíduos), biotecnologia e também gestão”.

Este é o primeiro acordo entre as duas instituições e surgiu da presença de um docente da UA que se encontra em licença sabática na FUCS, António Fernandes do Departamento de Economia, Gestão e Engenharia Industrial. “O professor António Fernandes, da área de turismo está na FUCS em licença sabática e foi a vinda dele que abriu a possibilidade de um acordo entre ambas as instituições”, frisou Evaldo Kuiava.

Para a UA este é mais um “alargar de horizontes” para um local onde não existem muitos acordos, segundo explicou Marlene Amorim, pró-Reitora para a Internacionalização da UA: “A FUCS é uma universidade do sul do Brasil onde não temos tantos protocolos assinado. Portanto, desse ponto de vista, trata-se de um alargamento do nosso âmbito de ação. Depois é uma universidade que tem ciências sociais aplicadas e muito desenvolvidas e tem uma área de engenharia também muito boa. Tem 48 anos, quase a mesma idade da UA, e uma base de licenciaturas e mestrados muito estável e diversificada. Encontra-se agora num processo muito ativo de criar programas doutorais. Assim, nesta etapa de crescimento podem vir a ser desenvolvidas parcerias de investigação muito interessantes”, destacou.

E mesmo antes de ser assinado o acordo entre as duas universidades, já uma aluna de doutoramento se encontrava na UA: Margarete Menegotto. Margarete encontra-se a tirar um doutoramento em Administração da FUCS está na UA por quatro meses, a efetuar trabalho com orientação de Elisabete Pereira. Conheceu o António Fernandes na FUCS e percebeu que o que era feito aqui na UA na área da competitividade, o seu âmbito de pesquisa, era muito interessante. Assim, apresentou um projeto que foi aceite por Elisabete Pereira e veio. E não está nada arrependida. Recomenda a UA e os portugueses por todas as razões: “Pela troca de conhecimentos, pelos aspetos técnico-científicos, pelas vivências e experiências, por tudo!”.

A Universidade de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, é a segunda maior universidade privada do Brasil, com aproximadamente 35000 alunos. 

imprimir
tags
outras notícias